Busca avançada
Ano de início
Entree

Espectrometria de massas por imagem para estudo de distribuição de fármacos em diferentes tecidos tumorais

Processo: 17/19523-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 10 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 09 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Pesquisador responsável:Marcos José Salvador
Beneficiário:Alessandra Freitas Serain
Supervisor no Exterior: Massimo Zucchetti
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Istituto di Ricerche Farmacologiche Mario Negri (IRCCS), Itália  
Vinculado à bolsa:16/06407-3 - Estudo químico e biotecnológico de Sinningia (Gesneriaceae) e avaliação do efeito biológico fotoinduzido para aplicação em PDT, BP.DD
Assunto(s):Espectrometria de massas   Bioatividade   Fitoquímica   Antineoplásicos   Bioensaio

Resumo

A maioria dos fármacos anticancerígenos tem uma penetração limitada nos tecidos tumorais, contribuindo para a sua baixa eficácia, e dificultando a terapia anticancerígena. Estudos farmacocinéticos foram conduzidos utilizando técnicas de HPLC-MS, medindo a concentração plasmática de fármaco, e assumindo que está em equilíbrio com a concentração de tecido, porém a penetração de drogas no tumor depende do seu microambiente, o que pode estar dificultando a penetração eficiente de drogas nele. Portanto, a técnica de imagem de espectrometria de massa (MSI) tem a vantagem de ter uma boa resolução espacial, integração com dados histológicos e pode mostrar em detalhes a distribuição do fármaco no tecido tumoral. As técnicas MSI incluem Matrix Assorted Laser Desorption / Ionization (MALDI), que retém a informação morfológica do tecido, ajudam a compreender a má entrega do fármaco, parte do problema de resistência a certos tumores, e tem potencial para elucidar a base molecular de diferentes estruturas nos tecidos e para explicar variações de respostas em diferentes pacientes. Isso possibilita otimizar a entrega e a eficácia das drogas, contribuindo para a criação de novas estratégias terapêuticas destinadas a modificar o microambiente tumoral ou alterar as propriedades dos fármacos para facilitar a absorção de drogas. Algumas estratégias para aumentar a penetração de drogas no tecido estão sendo desenvolvidas, como o uso de proteases, incluindo colagenase ou hialuronidase, que degradam o ácido hialurônico e colágeno, aumentando a penetração de drogas em tumores.