Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação entre Streptococcus-Candida em biofilmes formado na superfície do titânio

Processo: 17/21289-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 08 de março de 2018
Vigência (Término): 07 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Valentim Adelino Ricardo Barão
Beneficiário:João Gabriel Silva Souza
Supervisor no Exterior: Anna Dongari-Bagtzoglou
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Connecticut (UCONN), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/23118-2 - Efeito antibacteriano e avaliação da biocompatibilidade do tratamento com plasma de descarga incandescente na superfície do titânio: estudo in vitro e in situ, BP.DR
Assunto(s):Streptococcus   Candida   Prótese dentária   Titânio   Biofilmes   Implantes dentários

Resumo

A formação de biofilme na superfície de implantes de titânio (Ti) pode ativar a inflamação dos tecidos da mucosa adjacente. Biofilmes mistos formados por bactéria-fungo, composto por Candida albicans e estreptococos do grupo mitis, tem demonstrado ativar uma exacerbada resposta inflamatória. No entanto, o crescimento destes biofilmes na superfície do Ti e seus efeitos na inflamação da mucosa não tem sido estudado. Além disso, um efeito reciproco de produtos gerados pela inflamação da mucosa no crescimento destes biofilmes tem sido sugerido, mas nunca foi testado. Em adição, o papel da matriz extracelular e das enzimas glicosiltransferase (GTF) na interação entre Candida e membros do grupo mitis é desconhecido. Para testar estas hipóteses, (1) biofilmes mono espécies (Streptococcus oralis, Streptococcus mitis, Streptococcus sanguinis, Streptococcus gordonii ou C. albicans sozinha) ou duo-espécie (C. albicans com cada espécie de estreptococos) serão formados em discos de Ti. Além disso, os microrganismos serão inoculados nos discos e serão suspensos acima do modelo 3D de mucosa oral para testar se o ambiente da mucosa facilita a interação. (2) para testar o efeito desses biofilmes mono e duo na resposta inflamatória da mucosa, o modelo de mucosa será exposto a biofilmes maduros pré-formados em discos de Ti. Meio de cultura do modelo de mucosa será coletado em diferentes tempos e analisado simultaneamente para múltiplas citocinas proinflamatórias utilizando metodologia Luminex. Sobrenadantes do tecido com concentrações crescentes (diluição seriada) será utilizado para suplementar o meio de crescimento do biofilme e um mix de citocinas recombinantes será utilizado para testar o efeito de citocinas no crescimento do biofilme. (3) Para testar o papel da matriz do biofilme e GTF dos estreptococos no desenvolvimento de biofilmes mistos, os biofilmes serão crescidos em duas diferentes condições, 0% ou 2% de sacarose, já que a sacarose é utilizada como substrato para síntese de polímeros extracelulares. Adicionalmente, para avaliar o papel da GTF na interação celular entre fungo e bactéria, modelos mistos de Candida-S. oralis ou -S. gordonni com mutantes de gtfR-negativo em S. oralis cepa 34 e gtfG-negativo em S.gordoni cepa CH1 será utilizado.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.