Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunização de lambaris (Astyanax altiparanae) com vacina gênica contendo o antígeno de imobilização IAG52A de Ichthyophthirius multifiliis em conjunto com a citocina IL-8 de A. altiparanae como adjuvante molecular

Processo: 17/18562-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Antonio Augusto Mendes Maia
Beneficiário:Mateus Maldonado Carriero
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Vacinas de DNA   Citocinas   Ichthyophthirius multifiliis   Parasitologia

Resumo

O protozoário ciliado Ichthyophthirius multifiliis é um parasita obrigatório causador da "doença dos pontos brancos" ou "ictioftiríase" em praticamente qualquer espécie de peixe de água doce, sendo responsável por importantes perdas para a indústria de pescados tanto nacional como mundial. O lambari (Astyanax altiparanae) é um caraciforme de pequeno porte que ocorre em rios da região neotropical da América do Sul. Vem ganhando grande destaque na aquicultura nacional principalmente pelo seu potencial para utilização como petisco, alimento enlatado e isca para pesca, além de ser muito utilizado como modelo em pesquisas, uma vez que possui fácil reprodução, possui rápida maturação sexual e apresenta altas taxas de crescimento. Porém, todo esse potencial esbarra na falta de alternativas para o tratamento de doenças que o acometem, especialmente a ictiofitiríase. Atualmente não existem tratamentos eficientes para o controle desse parasita em produções de larga escala, o que torna o desenvolvimento de estratégias preventivas extremamente necessário. Dessa forma, o objetivo do presente projeto é desenvolver e avaliar a eficiência da imunização de A. altiparanae com o antígeno de imobilização IAG52A de I. multifiliis, em conjunto com a citocina IL-8 de lambaris como adjuvante molecular na forma de vacinas de DNA. Na primeira etapa deste projeto, todos os genes necessários serão caracterizados por sequenciamento e posteriormente essas sequências serão utilizadas na produção das vacinas gênicas. Nos peixes imunizados, será realizada a análise de expressão dos genes exógenos na musculatura do local de injeção, a quantificação de anticorpos IgM no sangue, além da expressão das citocinas inflamatórias TNF, INF, IL-1, IL-8 e IL-10 no baço e rim anterior. Posteriormente esses peixes serão desafiados com uma dose letal de terontes de I. multifiliis a fim de se avaliar os efeitos protetores das vacinas por análises de mortalidade e morbidade. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.