Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da trombose venosa profunda assintomática no desenvolvimento da Síndrome Pós-Trombótica

Processo: 17/12718-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Marcone Lima Sobreira
Beneficiário:Felipe Mouzo Bortoleto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Trombose venosa   Síndrome pós-trombótica   Insuficiência venosa   Ultrassonografia

Resumo

A trombose venosa profunda (TVP) configura-se como uma enfermidade caracterizada pela ocorrência de trombos no sistema venoso profundo, levando a obstrução parcial ou total do lúmen do vaso, predominando em membros inferiores. A confirmação diagnóstica é realizada através de exames complementares em pacientes com quadro clinico sugestivo. No entanto, pode haver ausência de sinais e sintomas clínicos, configurando a TVP assintomática (TVPas), ao qual pode evoluir para embolia pulmonar ou Síndrome Pós-Trombótica (SPT), entretanto, ainda há carências na literatura sobre a história natural do evento trombótico assintomático. Objetivos: Determinar a prevalência de SPT em uma população de pacientes com antecedente confirmado de TVPas, comparar a morbidade do evento SPT em uma população de pacientes com antecedente de TVPas com o evento SPT em uma população de pacientes com antecedente de TVPs, comparar repercussão clínica e ultrassonográfica da SPT pós-TVPa com a SPT pós-TVP sintomática (TVPs), comparar dados ultrassonográficos iniciais (primeiro episódio de TVPas) com os dados ultrassonográficos atuais e correlacionar com a gravidade clínica da SPT. Casuística e Métodos: Uma amostra composta de 579 pacientes internados previamente em ambiente hospitalar e/ou acompanhados ambulatorialmente foram verificados com relação à presença de TVP na extremidade sintomática. A extremidade contralateral, se assintomática, era investigada sistematicamente na tentativa de se diagnosticar TVPas, sendo detectada em 108 indivíduos (18,65%) em estudo prévio. Assim, os pacientes com TVPas serão convidados a comparecer ao Laboratório Vascular (Hospital das Clínicas - Faculdade de Medicina de Botucatu/UNESP) para realização de nova avaliação clínica e ultrassonográfica, além dos pacientes com TVP sintomáticos, na proporção de 1:2 (TVPa: TVPs), sendo que a avaliação clínica consistirá: da aplicação de escore de Vilalta, para o diagnóstico de SPT e da realização de escala visual analógica (EVA) para determinar intensidade de dor e realização de ultrassonografia vascular. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.