Busca avançada
Ano de início
Entree

Posição taxonômica de populações topotípicas das variedades de Scinax x-signatus atribuídas por Spix (1824) para a Amazônia brasileira (Anura, Hylidae, Scinaxinae)

Processo: 17/18951-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Ivan Sergio Nunes Silva Filho
Beneficiário:Guilherme Rey de França Sichieri
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Scinax   Acústica   Coloração   Morfometria   Morfologia animal

Resumo

O histórico taxonômico do gênero Scinax é complexo devido ao seu elevado grau de similaridades interespecíficas, presença de variações intraespecíficas, ao fato de que constantemente são registradas novas espécies e que estas são muito numerosas. Scinax x-signatus possui uma literatura taxonômica complexa em consequência da dificuldade do reconhecimento sobre qual população este nome pode ser atribuído. A literatura, ainda, demonstra a mandatória importância da designação de um neótipo (tipo foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial) para este táxon. Atualmente, apenas dois nomes continuam sinônimos júnior de S. x-signatus: Hyla affinis Spix, 1824 (Rio Amazônas, Brasil) e Hyla coerulea Spix, 1824 (Tefé, Estado do Amazonas, Brasil). A comparação das populações do Estado da Bahia com as populações (pelo menos as topotípicas) dos nomes atribuídos aos seus sinônimos júnior certamente irá compor as etapas para designação deste futuro neótipo. Assim sendo, é nesta etapa que reside a justificativa para o presente estudo: descrever as populações dos nomes Amazônicos atribuídos por Spix, atualmente alocados como sinônimos júnior de S. x-signatus, é um passo fundamental para resolver um importante problema taxonômico de uma espécie polimórfica e de ampla distribuição. Morfologia, coloração, caracteres morfométricos e acústica (vocalização de anúncio) serão descritos e apresentada sua variação. Esta abordagem qualitativa visa entender como os caracteres estão distribuídos nestas populações. Uma Análise de Componentes Principais irá mostrar a natureza da distribuição dos dados morfométricos analisados. O entendimento da distribuição dos caracteres de interesse taxonômico nas populações amazônicas é de suma importância para o grupo. (AU)