Busca avançada
Ano de início
Entree

Análises funcionais de variantes de significado clínico desconhecido do gene de predisposição ao câncer de mama PALB2

Processo: 17/17451-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Edenir Inêz Palmero
Beneficiário:Ariane Stéfani Pereira
Instituição-sede: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia   Neoplasias mamárias

Resumo

O Câncer de mama é o tipo de câncer mais frequente nas mulheres, sendo cerca de 5-10% hereditários. Os principais genes associados a um alto risco de desenvolvimento do câncer de mama são BRCA1, BRCA2, TP53, PTEN, CDH1, STK11 e, recentemente adicionado ao grupo, o gene PALB2, um supressor tumoral envolvido em diversas funções celulares, principalmente, no reparo a danos ao DNA. As variantes encontradas nesses genes podem ser classificadas como patogênicas, provavelmente patogênicas, de significado clínico desconhecido (VUS), provavelmente benignas ou benignas. Pacientes cujo teste genético identifica uma VUS tem seu manejo clínico dificultado, dado que o resultado não é esclarecedor para o indivíduo ou família portadora da variante. Um estudo prévio realizado pelo nosso grupo identificou, no gene PALB2, variantes genéticas classificadas como VUS assim como variantes missense não reportadas em bancos de dado e classificadas como patogênicas ou provavelmente patogênicas por predições in silico. O presente trabalho pretende, através de ensaios funcionais com duas linhagens celulares de câncer de mama (T47D e HS578T), determinar o papel dessas variantes no gene PALB2. Para tanto, será realizado o silenciamento do gene PALB2 através do sistema CRISPR/Cas9. Em seguida, as variantes c.2816T>G e c.2981T>G, escolhidas para o estudo, e c.1042C>T (controle positivo) serão introduzidas no gene através da técnica de mutagênese sítio-dirigida. Posteriormente, serão realizadas as análises funcionais através dos ensaios de proliferação celular (BrdU), viabilidade celular (MTS), apoptose (citometria de fluxo), proficiência do sistema de reparo por recombinação homóloga, localização celular e co-imunoprecipitação. Esperamos que os ensaios funcionais realizados auxiliem na definição do impacto biológico e clínico dessas alterações no gene PALB2.