Busca avançada
Ano de início
Entree

Taquaras, tambores e violas: relações entre musicar e localidade na construção de narrativas audiovisuais

Processo: 17/21063-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:Rose Satiko Gitirana Hikiji
Beneficiário:Alice Martins Villela Pinto
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/05318-7 - O musicar local: novas trilhas para a etnomusicologia, AP.TEM
Assunto(s):Etnomusicologia   Filme etnográfico

Resumo

Este projeto volta-se para a investigação da relação entre o musicar e a localidade na produção de um conjunto de narrativas audiovisuais específicas. Trata-se da participação na produção da série Taquaras, Tambores e Violas, a ser realizada por uma produtora de documentários que pretende documentar a construção de instrumentos musicais em diversos pontos do país. O musicar, tradução da palavra "musicking", cunhada por Christopher Small (1998), refere-se, de maneira ampliada, a qualquer forma de engajamento com a música. Assim, musica-se ao participar de uma performance musical, mas também ao ouvir música gravada ou ao falar sobre música. Local ou localidade são contextos dinâmicos, são pontos de encontros contínuos entre pessoas, ideias, práticas, tecnologias, objetos que vão convergindo no local ao longo do tempo e, ainda, "estruturas de sentimento" e um ideal de vivência e convivência em comunidade (Appadurai, 1996). As relações entre musicar e localidade são problemas centrais a serem investigados pelo Projeto Temático: "O musicar local: novas trilhas para a etnomusicologia", processo Fapesp: 2016/05318-7, ao qual esta pesquisa está vinculada. Ao dar foco às relações entre localidade e musicar na produção audiovisual, pretende-se chamar atenção para os modos como, nas narrativas audiovisuais da série, o musicar constrói localidades e as localidades constroem formas de musicar. Nesta proposta, a produção fílmica é pensada como uma forma de musicar e uma tecnologia de interatividade que coloca em relação a equipe de filmagem e os sujeitos do filme, o que, possivelmente, atua para a produção de novas localidades nos contextos filmados.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.