Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade taxonômica de (Rhinebothrium Linton, 1890) (Cestoda: Rhinebothriidea) em Hypanus guttatus (Bloch & Schneider) no litoral NE brasileiro

Processo: 17/20544-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Fernando Portella de Luna Marques
Beneficiário:Jéssica Vieira da Silva Santos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biodiversidade   Filogenia   Sistemática   Cestoda   Elasmobrânquios   Ecossistemas de litoral

Resumo

A documentação da diversidade e os estudos filogenéticos de parasitas são fundamentais para a compreensão da biodiversidade global e do entendimento das relações históricas entre as linhagens que a compõe. Apesar dos recentes esforços em se descobrir e descrever novas espécies de parasitas há fortes indícios de que sua diversidade esteja subestimada. O gênero Rhinebothrium Linton, 1890 é um bom exemplo. Este gênero é composto por 44 espécies de endoparasitas exclusivos do intestino espiral de batóideos (i.e., arraias) quando adultos. Mesmo tendo uma distribuição mundial, não há nenhum registro de espécies de Rhinebothrium para a costa brasileira - embora a diversidade de batóideos em nossas águas seja reconhecida. Entretanto, dados preliminares da presente proposta sugerem que a ausência de Rhinebothrium nessa região seja um artefato amostral - o que pode ser atribuído ao fato de que muitos de seus hospedeiros ainda não tenham sido examinados para esta fauna parasitária. Essa asserção baseia-se na observação de que há pelo menos três novas espécies desses parasitas em espécimes de arraias marinhas de Hypanus guttatus (Bloch Schneider) do litoral do Estado de Alagoas no Brasil. Neste sentido, esse projeto visa documentar a diversidade do gênero Rhinebothrium da costa do Nordeste brasileiro a fim de contribuir para o conhecimento de sua fauna em nosso país. As três espécies putativas serão descritas a partir de dados morfológicos e moleculares, os quais serão contrastados com o material-tipo e dados moleculares disponíveis em nosso laboratório e depositados em repositórios internacionais, respectivamente. Objetiva-se como produto final deste projeto, uma publicação científica em periódico especializado com a descrição desses novos táxons e de sua inserção dentro de um contexto evolutivo. (AU)