Busca avançada
Ano de início
Entree

Os determinantes econômicos e políticos da aprovação do presidente no Brasil, 1986-2016

Processo: 17/18633-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política
Pesquisador responsável:Lorena Guadalupe Barberia
Beneficiário:Maria Leticia Claro de Faria Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/14525-6 - Instituições políticas, padrões de interação executivo-legislativo e capacidade governativa, AP.TEM
Assunto(s):Política econômica   Comportamento eleitoral   Crise econômica   Brasil   Análise estatística de dados   Inflação   Desemprego

Resumo

O presente projeto dedica-se ao estudo dos determinantes da popularidade do presidente no Brasil, desde o período da redemocratização até o momento atual, em uma perspectiva comparada. Especificamente, o projeto procura avançar na compreensão de como as mudanças nas políticas econômicas influenciam a aprovação do presidente. As justificativas para a realização deste projeto são duas. A primeira é que há uma carência de estudos sistemáticos sobre o voto econômico nas democracias latino-americanas. A segunda é que a literatura sobre voto econômico no Brasil tem se concentrado, fundamentalmente, na análise das eleições para o executivo nacional em casos específicos, analisando somente uma eleição ou então, mesmo quando se analisa mais de um caso, não se tem utilizado métodos apropriados para análise de dados temporais. A fim de suprir essa lacuna, este projeto tem por objetivo analisar as dinâmicas da popularidade do presidente no Brasil desde o período da redemocratização até o momento atual. Utilizando dados macroeconômicos, o projeto visa responder as três perguntas seguintes: As taxas de aprovação para o presidente flutuam de acordo com as mudanças nas políticas econômicas (e.g. taxa de inflação, taxa de desemprego e crescimento da renda per capita)? Em termos relativos, há um maior impacto dos fatores relacionados ao desempenho econômico recente (voto retrospectivo) quando há maior clareza de responsabilidade? Há menor responsabilização ao mandatório durante crises econômicas? (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.