Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da N-metilação sobre a estabilidade hidrolítica e fluorescência de sondas betalaínicas

Processo: 17/20133-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Erick Leite Bastos
Beneficiário:Renan Rodini Mattioli
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/22136-4 - Uso de solventes verdes e suas misturas na otimização de processos químicos, AP.TEM
Assunto(s):Cumarínicos   Betalaínas   Fluorescência   Fisico-química orgânica   Absorção de dois fótons

Resumo

Betalaínas são pigmentos vegetais com propriedades antioxidantes encontrados em algumas espécies de flores fluorescentes. Betalaínas cumarínicas (cBeets) e carboestiril betalaínas (csBeets) são derivados artificiais, desenvolvidos no grupo de pesquisa para serem usadas como sondas fluorescentes em aplicações de biologia celular. Dados obtidos com derivados imina e imínio de fenilbetalaínas sugerem que betalaínas aromáticas N-metiladas são mais estáveis frente à hidrolise quando comparadas aos derivados não alquilados. Neste projeto de mestrado, propõe-se semissintetizar derivados N-metilados de cBeets e csBeets e determinar o efeito desta alteração sobre a estabilidade hidrolítica e as propriedades fotofísicas destes compostos comparadas aos compostos não alquilados. Os resultados obtidos contribuirão para estabelecer relações entre a estrutura de betalaínas e suas propriedades fotofísicas.