Busca avançada
Ano de início
Entree

Genes de resposta imune inata e adaptativa na infecção por vírus Zika

Processo: 17/24446-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Luiz Carlos de Mattos
Beneficiário:Tatiane de Lima Grandini Torregrossa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/05115-9 - Genes de resposta imune inata e adaptativa na infecção por Vírus Zika, AP.R
Assunto(s):Virologia   Resposta imune   Receptores toll-like   Vírus Zika   Mica

Resumo

A crescente epidemia por vírus Zika no Brasil representa um dos mais importantes desafios da ciência brasileira contemporânea não somente pelos casos de microcefalia potencialmente associada a este vírus como também para a investigação de vários aspectos das respostas imunes (inata e adaptativa) dos indivíduos infectados, sintomáticos e assintomáticos. O objetivo geral deste projeto é testar a hipótese de que os genes de resposta imune inata (KIR, MICA e TLR) e adaptativa (HLA), estão associados à infecção por vírus Zika e à microcefalia potencialmente relacionada a este vírus. Seus objetivos específicos são: 1 - Selecionar dois grupos de pacientes com infecção por vírus Zika assim constituídos: Grupo 1 - gestantes com infecção por vírus Zika e sintomáticas; Grupo 2 - gestantes com infecção por vírus Zika e assintomáticas; 2. Confirmar a presença de infecção por vírus Zika por métodos moleculares, em ambos os grupos; 3. Identificar os genes HLA de classe I (HLA-A, HLA-B e HLA-C) e II (HLA-DRB1, HLA-DQB1), KIR e seus ligantes, MICA, TLR3 e TLR7 em ambos os grupos; 4. Verificar se estes genes estão associados à presença ou ausência de sintomas em ambos os grupos; 5. Verificar se um ou mais destes genes estão associados à microcefalia potencialmente relacionada à infecção por vírus Zika. Serão selecionadas gestantes de São José do Rio Preto e região atendidas pelo Hospital da Criança e Maternidade. Além de dados epidemiológicos, serão coletadas amostras de sangue e urina para investigação laboratorial da infecção por vírus Zika. A identificação de infecção por vírus Zika será realizada com o uso do método RT-PCR com primers que se anelam a regiões do gene da proteína não-estrutural 5 (NS5). O DNA genômico será utilizado para a genotipagem dos genes KIR, MICA e HLA pelo método PCR-SSOP. O polimorfismo funcional MICA-129 (A>G, rs1051792) será analisado pelo método PCR Nested e os polimorfismos TLR3 rs3775291 e TLR7 rs179008 serão analisados por discriminação alélica com o método qPCR. As frequências gênicas de KIR e dos alelos MICA-129 rs1051792, TLR3 (rs3775291) e TLR7 (rs179008) serão obtidos por contagem direta. Os alelos e haplótipos HLA de classe I e II serão analisados com o uso do programa Arlequin (versão 3.1). As comparações das frequências de genes KIR e seus ligantes HLA bem como do polimorfismo do gene MICA serão realizadas com o uso do teste qui-quadrado com correção de Yates ou Teste Exato de Fisher (p<0,05). Os resultados a serem alcançados permitirão conhecer se os genes HLA, KIR, MICA e TLR constituem fatores imunogenéticos que influenciam a resposta imune à infecção por vírus Zika. Será possível compreender a importância das variações imunogenéticas para a orientação de programas de esclarecimento, educação, prevenção, tratamento da infecção e das doenças causadas pelo vírus Zika, bem como desenvolvimento de vacinas e novas drogas terapêuticas. (AU)