Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de partículas imaturas do vírus Chikungunya - avaliação de infectividade, utilização como ferramenta diagnóstica e elaboração de vacinas

Processo: 17/19137-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Benedito Antônio Lopes da Fonseca
Beneficiário:Danillo Lucas Alves Espósito
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/11939-0 - Construção de um clone infeccioso para o vírus chikungunya deficiente para o sítio de clivagem da furina para a produção de partículas não infecciosas, BE.EP.PD
Assunto(s):Alphavirus   Vacinas   Virologia   Febre de Chikungunya

Resumo

A epidemia recente causada pelo vírus chikungunya (Alphavirus, Togaviridae) no mundo demonstrou que, apesar de ter sido identificada nos anos 50, essa infecção ainda possui diversos pontos a serem elucidados, principalmente no que diz respeito ao diagnóstico correto da doença causada por esse vírus e no tratamento e prevenção da infecção. O vírus, que apesar de apresentar uma viremia curta, produz sintomas no indivíduo infectado como febre alta, mialgia, exantema e artrite/artralgia, sendo que esta manifestação articular pode persistir por meses ou anos, gerando um grande impacto na saúde pública. O presente projeto propõe o estudo de parâmetros da proteína E3 de chikungunya, bem como o efeito de partículas imaturas durante o progresso da infecção. Além disso, a propomos desenvolver de um candidato vacinal atenuado para prevenção de futuras infecções, visando garantir uma produção eficiente de anticorpos neutralizantes, por gerar infecção e produção de produtos virais além das proteínas estruturais, com produção de prole não infectante, garantindo segurança no uso do candidato vacinal. Como ferramentas para execução do projeto, serão confeccionadas proteínas heterólogas em células de insetos, além de um clone infeccioso, onde serão realizadas mutações sitio dirigidas para alcançar os objetivos do projeto, além de proporcionar substrato para outros projetos futuros. Com isso, espera-se entender melhor a infecção pelo vírus chikungunya, possibilitando novas ferramentas diagnósticas e de prevenção à infecção. (AU)