Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação de diferentes intensidades de treinamento muscular inspiratório sobre o controle autonômico cardiovascular de ciclistas: estudo clínico controlado e randomizado

Processo: 17/13402-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Aparecida Maria Catai
Beneficiário:Raphael Martins de Abreu
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/11123-0 - Análise inovadora do controle autonômico cardiovascular em ciclistas após diferentes intensidades de treinamento muscular inspiratório: estudo clínico controlado e aleatorizado, BE.EP.DD
Assunto(s):Estudo clínico   Ciclistas   Exercícios respiratórios   Frequência cardíaca   Pressão sanguínea   Sistema cardiovascular   Sistema nervoso autônomo   Fadiga muscular

Resumo

O treinamento muscular inspiratório (TMI) tem sido estudado como um método não convencional para melhorar o desempenho de atletas, devido sua contribuição para redução da dispneia e da fadiga muscular periférica, os quais são os principais limitantes da prática esportiva. Entretanto, pouco se sabe sobre os efeitos do TMI sobre o controle autonômico cardiovascular, bem como, sobre a sensibilidade barorreflexa (SBR), que são fatores determinantes para a manutenção da homeostase cardiovascular e responsáveis pelo controle da frequência cardíaca e da pressão arterial, tanto em repouso, quanto durante a prática esportiva. O controle autonômico pode ser avaliado de forma indireta, por meio da análise da variabilidade da frequência cardíaca e da pressão arterial (VFC e VPA, respectivamente), os quais sofrem influência da SBR. Alguns estudos identificaram influência do TMI sobre o controle autonômico cardíaco na redução da modulação simpática de repouso, representada na análise espectral da VFC, porém, os mecanismos fisiológicos pelos quais o TMI atua ainda são inconclusivos na literatura. Além disso, não é de nosso conhecimento estudos que avaliaram a VPA e SBR em humanos, o que permitiria elucidar e trazer informações adicionais sobre as respostas relacionadas às adaptações autonômicas vasculares após treinamento. Objetivo geral: Avaliar os efeitos do TMI de diferentes intensidades sobre o controle autonômico cardiovascular de ciclistas recreacionais. Materiais e Métodos: Trinta ciclistas recreacionais do sexo masculino, com idade entre 20 e 40 anos, serão divididos aleatoriamente em três grupos de treinamento: Grupo Sham (GS), Grupo Pressão Crítica [PThC (GPTHC)] e Grupo 60% da PIMÁX (G60). Após a triagem e avaliação clínica, os indivíduos serão submetidos a 11 semanas de TMI, com frequência semanal de 3 sessões e duração de 1 hora cada sessão, com o cálculo da carga de exercício, segundo o grupo que for alocado. A VFC, VPA e SBR, bem como, o teste de força e resistência muscular respiratória e teste cardiopulmonar serão obtidos nos momentos pré e pós intervenção. Será realizada uma análise descritiva dos três grupos avaliados, a normalidade dos dados será avaliada pelo teste de Shapiro-Wilk e a homogeneidade pelo teste de Levene. Para a comparação entre os grupos de treinamento serão utilizando testes paramétricos e do não paramétricos, segundo a distribuição dos dados. O nível de significância será fixado em p<0,05. Resultados Esperados: Espera-se que ao término de 11 semanas de TMI, quando comparado os grupos (PTHC, GS e G60), apresentem respostas autonômicas cardiovasculares distintas, permitindo elucidar qual melhor carga de treinamento que beneficie este sistema. Além disso, os resultados permitirão posteriormente a investigação deste protocolo em pacientes que tenham como característica clínica a disfunção autonômica e/ou disautonomias. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE ABREU, RAPHAEL MARTINS; REHDER-SANTOS, PATRICIA; SIMOES, RODRIGO POLAQUINI; CATAI, APARECIDA MARIA. Can high-intensity interval training change cardiac autonomic control? A systematic review. BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY, v. 23, n. 4, p. 279-289, JUL-AUG 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.