Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da matriz óssea desmineralizada (MOD) caprina na reparação de falhas ósseas em coelhos, por meio da microtomografia computadorizada

Processo: 17/09563-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Bruno Watanabe Minto
Beneficiário:Felipe Rocha dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Osteoindução   Matriz óssea   Proteínas morfogenéticas ósseas   Teste de biocompatibilidade   Coelhos   Microtomografia   Xenoenxertos   Enxerto ósseo   Transplante autólogo

Resumo

A enxertia óssea vem sendo bastante estudada e utilizada na odontologia, ortopedia e neurocirurgia, tanto na medicina humana quanto veterinária. O enxerto autólogo de osso esponjoso, considerado padrão ouro, é o mais indicado e empregado na maioria dos casos, porém, possui desvantagens, tais como morbidade no sítio doador, fraturas iatrogênicas e disponibilidade. A matriz óssea desmineralizada apresenta características como osteoindução e osteocondução, além da possibilidade de armazenamento por longos períodos, destacando-a como bioenxerto promissor no reparo de falhas ósseas. Devido à crescente demanda por biomateriais e substitutos ósseos eficazes na área de cirurgia ortopédica reconstrutiva veterinária, a abundância de ossos caprinos descartados após o abate e ausência de estudos sobre matriz óssea desmineralizada caprina, objetivou-se avaliar a matriz óssea desmineralizada caprina como xenoenxerto em falhas ósseas em coelhos. Serão utilizados 30 coelhos, adultos da raça Nova Zelândia Branco, machos e fêmeas. Uma falha circular monocortical de 6 mm de diâmetro será realizada em ambas as tíbias, no terço proximal. A falha da tíbia esquerda será preenchida com matriz óssea desmineralizada caprina, enquanto que a direita será o controle. Nos períodos pós-operatórios de 15, 30, 60, 90 e 120 dias, os animais serão eutanasiados e avaliados por meio de microtomografia computadorizada helicoidal, analisando-se o padrão de preenchimento trabecular, formação de tecido ósseo intralesional, taxa de reabsorção do enxerto e osteointegração. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SANTOS, Felipe Rocha dos. Matriz óssea desmineralizada caprina (MODc) na reparação de falhas ósseas não-críticas em tíbias de coelhos. 2019. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.