Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização estrutural de minerais raros e novas espécies minerais de Poços de Caldas, Minas Gerais, Brasil

Processo: 17/25426-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Daniel Atencio
Beneficiário:Andrezza de Almeida Azzi
Supervisor no Exterior: Ritsuro Miyawaki
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : National Museum of Nature and Science, Japão  
Vinculado à bolsa:15/26689-0 - Caracterização cristaloquímica de minerais do complexo alcalino de Poços de Caldas - MG, BP.PD
Assunto(s):Mineralogia   Caracterização do minério   Espectroscopia infravermelho transformada de Fourier   Transformada de Fourier

Resumo

O complexo alcalino de Poços de Caldas contém muitos minerais raros, sendo alguns deles ricos em elementos terras raras. Entretanto, muitos desses minerais foram em sua maioria apenas citados ou parcialmente descritos, o que justifica terem sido encontradas apenas duas novas espécies minerais em Poços de Caldas (fluorlamprofilita- (SrNa)Ti2Na3Ti(Si2O7)2O2F2 e manganoeudialita - Na14Ca6Mn3Zr3[Si26O72(OH)2](H2O,Cl,O,OH). O estudo de minerais raros em Poços de Caldas almeja não apenas encontrar novas espécies minerais mas também melhorar o conhecimento mineralógico atual por meio de caracterização química e estrutural dos minerais. A caracterização cristaloquímica já foi realizada, e por intermédio das informações obtidas foram selecionados diversos minerais para prosseguir com a caracterização estrutural e verificar se os espécimes minerais selecionados são novas espécies. Para obter a caracterização estrutural de um mineral é necessário um difratômetro de raios X para monocristal (para reconhecer o arranjo atômico/posição de cada átomo da cela unitária) e dessa forma determinar a estrutura do mineral. As informações obtidas na caracterização estrutural, em conjunto com outros dados adquiridos como difração de raios X pelo método do pó, microscopia eletrônica de varredura, microssonda eletrônica, espectroscopia Raman e de infravermelho, irão definir a espécie mineral de acordo com as regras da IMA - International Mineralogical Association. (AU)