Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do ambiente pró-oxidativo e da oxidação de proteínas tirosina fosfatase em processos associados a aterosclerose

Processo: 17/26072-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 30 de março de 2018
Vigência (Término): 29 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Rita de Cassia Aleixo Tostes Passaglia
Beneficiário:Josiane Fernandes da Silva
Supervisor no Exterior: Rhian Merry Touyz
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Glasgow, Escócia  
Vinculado à bolsa:16/16207-1 - Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias - CRID, BP.PD
Assunto(s):Aterosclerose

Resumo

Aterosclerose é uma doença inflamatória crônica que acomete grandes e médias artérias. Caracteriza-se pela formação de placas ateroscleróticas constituídas por núcleos necróticos, regiões calcificadas, acúmulo de lipídios na camada subendotelial, células musculares lisas vasculares (VSMCs), leucócitos e células de espumosas A lesão endotelial crônica, devido à hipertensão, distúrbios hemodinâmicos, hipercolesterolemia e estresse oxidativo, resulta em disfunção endotelial, aumento da permeabilidade, oxidação de LDL e resposta inflamatória associada ao aumento da expressão de moléculas de adesão e quimiocinas que participam de agregação plaquetária, adesão de linfócitos e monócitos e infiltração e ativação de macrófagos. Todas essas alterações podem acelerar o desenvolvimento da placa de ateroscleroses. As espécies reativas de oxigênio (ROS) são mediadores importantes das vias de sinalização que que participam da inflamação vascular na aterosclerose - da progressão da lesão à ruptura da placa. As mudanças no meio oxidativo devido ao aumento da biodisponibilidade do ROS regulam a atividade de muitos moduladores de sinalização através de modificação pós-tradução, incluindo a inativação de proteínas-tirosina fosfatases (PTPs) através da oxidação de cisteína (Cys). Especificamente, a proteína tirosina fosfatase 1B (PTP1B) regula as respostas mediadas pelo receptor de tirosina quinase e influencia a função endotelial, bem como a atividade de proteína quinases ativadas por mitógenos (MAPK) e processos de angiogênese dependentes da sinalização de VEGFR2.Considerando que a aterosclerose é uma doença inflamatória crônica regulada por mecanismos redox sensíveis e a atividade de PTP está associada a disfunção vascular, este projeto propõe-se determinar se as mudanças no ambiente redox para um estado pró-oxidativo promovem a oxidação de PTP, levando a eventos pró-inflamatórios, disfunção endotelial e VSMC e, consequentemente, a um ambiente pró-aterosclerótico.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, JOSIANE FERNANDES; ALVES, V, JULIANO; SILVA-NETO, JULIO A.; COSTA, RAFAEL M.; NEVES, KARLA B.; ALVES-LOPES, RHEURE; CAMARGO, LIVIA L.; RIOS, FRANCISCO J.; MONTEZANO, AUGUSTO C.; TOUYZ, RHIAN M.; TOSTES, RITA C. Lysophosphatidylcholine induces oxidative stress in human endothelial cells via NOX5 activation - implications in atherosclerosis. Clinical Science, v. 135, n. 15, p. 1845-1858, AUG 2021. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.