Busca avançada
Ano de início
Entree

A eficácia causal da alma de Aristóteles: poderes vitalistas vs. atividades incorporadas

Processo: 17/25952-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 19 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 18 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Lucas Angioni
Beneficiário:Roberto Grasso
Supervisor no Exterior: Klaus Corcilius
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Eberhard Karls Universität Tübingen, Alemanha  
Vinculado à bolsa:16/02485-0 - Tendências dualistas na psicobiologia de Aristóteles, BP.PD
Assunto(s):Filosofia antiga   Alma   Aristóteles   Hilemorfismo

Resumo

A interpretação da "atividade incorporada" sobre a eficácia causal da alma em Aristóteles foi recentemente proposta (em um esboço de um artigo inédito apresentado na Unicamp) por Klaus Corcilius (Universidade de Tübingen). A leitura de Corcilius visa evitar o "homuncularismo" e a hipostatização da alma em Aristóteles, propondo para esse fim uma intepretação deflacionária da definição dela como conjunto de poderes organizados. Esta abordagem parece incompatível com uma das idéias-chave do meu projeto de pesquisa FAPESP sobre as "tendências dualistas na psicobiologia de Aristóteles", que visa mostrar que a alma é, em vez disso, um poder vitalista (não-superveniente e quase substancial) dotado de causalidade eficiente no corpo e, portanto, algum tipo de "agente" que opera no nível fisiológico. Por esta razão, seria crucial se envolver em detalhes com a leitura que Corcilius vai oferecer no seu importante trabalho futuro. A familiaridade de Corcilius come as obras biológicas e a concepção da alma de Aristóteles, atestada por publicações de renome internacional sobre o assunto, também representaria um ganho acadêmico considerável na abordagem da fase final da redação dos trabalhos que estou concluindo atualmente (um artigo sobre DA II.5, outro sobre DA II.11, um terceiro sobre emergentismo vs. vitalismo na definição da alma de DA II.1-2).