Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de blendas e nanocompósitos poliméricos a partir de resíduos da extração do óleo de babaçu

Processo: 17/22428-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Alessandra de Almeida Lucas
Beneficiário:Fabio Yuji Kachiwazaki
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Sustentabilidade   Aproveitamento de subprodutos   Blendas   Polímeros biodegradáveis   Nanocompósitos   Óleos vegetais   Babaçu

Resumo

A exploração do coco babaçu no Norte e Nordeste do Brasil gera emprego e renda a cerca de 300 mil famílias. O principal produto desta cadeia é o óleo extraído da semente do coco babaçu. No entanto, diversos resíduos são gerados e os mesmos têm sido utilizados em aplicações de baixo valor agregado, tais como ração animal, combustível de queima para a secagem das sementes, carvão, artesanato, etc. Dentre estes resíduos, o epicarpo é rico em fibras lignocelulósicas e o mesocarpo é rico em um amido que contém compostos fenólicos com ação antioxidante. Ambos podem ser considerados matérias-primas interessantes para a obtenção de blendas e nanocompósitos poliméricos. Assim, o objetivo deste trabalho é avaliar o uso do mesocarpo e epicarpo de babaçu em blendas e nanocompósitos poliméricos de forma a agregar valor aos mesmos, gerando uma contribuição importante ao trabalho que o Prof. José Castro da UFAM realiza junto à população ribeirinha da Amazônia. A obtenção do amido termoplástico a partir de resíduos do mesocarpo do coco babaçu em extrusora dupla rosca e suas blendas com o poliéster biodegradável PBAT poli (adipato-co-tereftalato de butileno) será estudada. Filmes serão confeccionados por extrusão e terão suas propriedades mecânicas e sua morfologia avaliadas. Numa segunda etapa serão extraídos nanocristais e nanofibrilas de celulose das fibras do epicarpo do coco babaçu e os mesmo serão utilizados como reforço para filmes de amido de babaçu obtidos por casting e extrusão. Esta etapa será realizada no Pagora, INP-Grenoble, sob a orientação do Prof. Alain Dufresne, que já vem colaborando com nosso grupo de pesquisa a algum tempo. (AU)