Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização morfológica do corpo gorduroso de Bradysia hygida

Processo: 17/10323-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Fábio Siviero
Beneficiário:Natália Torres
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Amplificação de genes   Biologia molecular   Controle biológico   Sciaridae

Resumo

Bradysia hígida é um sciarídeo com diversos aspectos celulares e fisiológicos conhecidos, tendo sido objeto de estudo desde os anos 60 e mantido em cultura desde então. Sciarídeos sempre foram modelos biológicos de difícil experimentação, no entanto metodologias atuais e os dados já produzidos nestes modelos abrem possibilidades de estudos que eram impraticáveis até recentemente, tornando B. hygida um modelo de estudo promissor. O corpo gorduroso de sciarídeos sempre foi um tecido pouco estudado, uma vez que o foco sempre foram os cromossomos politênicos presentes em outros tecidos; em Rhynchosciara americana foram descritos aspectos estruturais ligados à reorganização e morte celular durante a metamorfose, porém restam muitos aspectos celulares e fisiológicos a serem elucidados. Este projeto visa à caracterização morfológica do corpo gorduroso de Bradysia hygida ao longo do seu desenvolvimento através de cortes histológicos, microscopia de fluorescência e por microscopia eletrônica. Serão estudados o corpo gorduroso visceral e o parietal desta espécie em quatro idades: 2º estádio; 4º estádio E3; Pupa e Adultos. Serão produzidos e analisados cortes histológicos destes tecidos corados com HE, PAS, Azul de Bromofenol e Alcian blue, bem como preparações imunocitoquímicas revelando estruturas do citoesqueleto e distribuição de lipídeos e polissacarídeos. Aspectos da ultraestrutura de células destes tecidos nas idades já mencionadas serão analisados por microscopia eletrônica de transmissão. Este projeto é o primeiro passo para conhecer melhor a defesa inata de Bradysia hygida, podendo representar em longo prazo novas formas de controle biológico de sciarídeos ou a possibilidade de identificar peptídeos com possível aplicação clínica. Conhecer aspectos morfológicos e ultraestruturais deste tecido ao longo do desenvolvimento desta espécie representa um passo adequado para fundamentar estudos posteriores. (AU)