Busca avançada
Ano de início
Entree

Biogênese mitocondrial no músculo esquelético: efeito no estresse oxidativo

Processo: 17/20387-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 26 de julho de 2018
Vigência (Término): 25 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Anderson Saranz Zago
Beneficiário:Anderson Saranz Zago
Anfitrião: Joe Quadrilatero
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Waterloo, Canadá  
Assunto(s):Exercício físico   Estresse oxidativo

Resumo

Por ser a mitocôndria a principal fonte de radicais livres e de antioxidantes, qualquer alteração em sua biogênese pode favorecer a produção de espécies reativas de oxigênio (ROS), desencadeando uma série de fatores que comprometem o controle da pressão arterial. Diversos estudos apontam que o aumento do estresse oxidativo está associado à redução da integridade funcional das mitocôndrias, a ativação de algumas vias de transcrição pró-inflamatória e a ativação de fatores de indução de apoptose. Por outro lado, o aumento da biogênese mitocondrial está fortemente associado a redução de tais fatores no músculo esquelético. Desta forma o objetivo deste projeto é analisar o efeito do aumento ou diminuição da biogênese mitocondrial sobre os parâmetros de apoptose, estresse oxidativo e inflamação em cultura de célula de músculo esquelético e, o efeito da estimulação elétrica sobre tais relações. O aumento da biogênese mitocondrial será através da suplementação de óxido nítrico e pela estimulação elétrica, que possui efeitos similares a prática do exercício físico in vivo. A diminuição da biogênese mitocondrial será através da suplementação de glicose e inserção de RNA de interferência. Expressão de genes envolvidos na biogênese mitocondrial e fragmentação serão analisadas por RT-PCR e Espectrofotômetro SPECTRAmax Plus respectivamente. O conteúdo mitocondrial será determinado por sonda fluorescente Mito Tracker Green e analisadas por Citômetro de Fluxo. O conteúdo das proteínas serão determinados por Western Blotting e o conteúdo de peróxido de hidrogênio e ROS por fluorescência (Spectra max). Ainda, os parâmetros inflamatórios e a atividade enzimática serão realizadas por ELISA através de kits comerciais e fluorescência respectivamente. Os dados serão analisados por análise de variância (ANOVA one-way) e, para todos os casos será considerado significativo um p<0,05.