Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da produção de ROS dependente de NADPH oxidase e sinalização redox em hiPSC apartir de pacientes normotensos e hipertensos

Processo: 17/26460-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 31 de março de 2018
Vigência (Término): 20 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Lygia da Veiga Pereira
Beneficiário:Raquel Delgado Sarafian
Supervisor no Exterior: Rhian Merry Touyz
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Glasgow, Escócia  
Vinculado à bolsa:16/20650-8 - Avaliação de hepatócitos derivados de hiPSC como modelo para estudo da responsividade a losartan in vitro, BP.MS
Assunto(s):Biologia celular   Hipertensão   Estresse oxidativo

Resumo

A hipertensão é um importante fator de risco para várias doenças cardiovasculares, como acidente vascular cerebral, infarto agudo do miocárdio e doença renal crônica. É uma doença complexa multifatorial cujos mecanismos celulares não são bem compreendidos. Recentemente, vários estudos se concentraram no papel do estresse oxidativo no desenvolvimento da hipertensão arterial. O aumento da evidência nas últimas décadas indica uma associação entre espécies reativas de oxigênio (ROS) e hipertensão arterial. Os ROS são essenciais para a fisiologia celular, mas em uma situação desequilibrada, uma produção exacerbada de ROS pode danificar os componentes celulares e desencadear processos patológicos. Entre as diferentes fontes de ROS que estão presentes no coração, as NADPH oxidases (Noxs) são particularmente importantes porque estão envolvidas em muitas características da disfunção cardíaca. No entanto, em humanos, mesmo se a regulação redox de algumas das proteínas de sinalização está bem estabelecida, o papel dos Noxs nas patologias cardíacas causadas pela hipertensão e a relação com os ROS derivados de Nox e a hipertensão ainda são mal compreendidos. A elucidação de mecanismos envolvidos na regulação dependente de NOX de remodelação cardíaca pode levar a novos alvos terapêuticos para insuficiência cardíaca associada à hipertensão. Neste cenário, as células-tronco pluripotentes induzidas humanas (hiPSC), que já são reconhecidas como uma ferramenta para modelar várias doenças in vitro, podem ser uma ferramenta poderosa para a compreensão de mecanismos celulares em resposta ao estresse oxidativo na disfunção de cardiomiócitos induzidos por hipertensão. Assim, no presente projeto, propomos a utilização de cardiomiócitos derivados de hiPSC de pacientes hipertensos normotensos, responsivos e resistentes como fonte para o estudo de Nox.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.