Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da expressão de PD-L1 em células tumorais circulantes (CTC) de pacientes com câncer de cabeça e pescoço e gástrico tratados em uma única instituição

Processo: 17/18721-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 25 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Ludmilla Thomé Domingos Chinen
Beneficiário:Camila Ribeiro de Luiz
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia   Neoplasias de cabeça e pescoço   Neoplasias gástricas   Células neoplásicas circulantes   Progressão tumoral   Expressão de proteínas   Biomarcadores tumorais

Resumo

O câncer gástrico é uma das principais causas de morte por câncer no mundo. Segundo o INCA, no Brasil esses tumores aparecem em terceiro lugar na incidência entre homens e em quinto entre as mulheres. Já os tumores malignos de cabeça e pescoço, vem sendo o 6º tipo de câncer mais comum em todo o mundo, apresentando 650.000 novos casos por ano. Em sua abrangência, 60% dos pacientes com carcinoma epidermóide de cabeça e pescoço apresentam estágio de tumor localmente avançado. Um grande fator de risco para a progressão tumoral na maioria dos tumores epiteliais, por exemplo, é a disseminação de células tumorais no sangue. As Células Tumorais Circulantes (CTCs) são responsáveis pela disseminação de câncer, podendo circular no sangue por meses ou até anos antes do desenvolvimento de metástases. Sua técnica de isolamento é um grande desafio, e por este motivo, há poucos estudos sobre o assunto. A técnica para isolamento de CTCs utilizada no AC Camargo Câncer Center, é o ISET (Isolation by Size of Epithelial Tumor Cells) que isola as CTCs por filtragem, baseada na diferença de tamanho entre estas células e os demais componentes do sangue. Muitos estudos, inclusive do nosso grupo, têm avaliado a expressão proteica de marcadores de invasão e de resistência a tratamento nas CTCs (Chinen et al., 2013; Abdallah et al., 2015; Abdallah et al., 2016). Recentemente, Gatalica et.al. (2014) descreveram que células tumorais de diferentes locais, como por exemplo sarcomas e carcinomas, adquirem a capacidade de expressar PD-L1 (ligante de morte programada 1), tornando-os resistentes a quimioterapias e ao sistema imune. No presente estudo serão avaliadas amostras de 40 pacientes, coletadas entre 2014 e 2016, com tumores localmente avançados, não-metastáticos, sendo 20 de cabeça e pescoço submetidos à quimioradioterapia definitiva, e 20 de câncer gástrico submetidos à quimioterapia neoadjuvante. Os objetivos são avaliar expressão de PD-L1 nas CTCs, realizar contagem de CTCs e leucócitos destes pacientes, correlacionando-os com sobrevida livre de progressão (SLP). Espera-se que por meio deste projeto, a terapia com PD-L1 possa ser indicada para esse tipo de tratamento, e que as CTCs e a expressão de PD-L1 nestas células possam ser utilizadas como biomarcadores sanguíneos de resposta ao tratamento. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.