Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanopartículas de ouro e sondas de DNA para detecção do vírus da cinomose canina

Processo: 17/24277-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:João Pessoa Araújo Junior
Beneficiário:Lucas Cardoso Lázari
Instituição-sede: Instituto de Biotecnologia (IBTEC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Sondas de DNA   Vírus da cinomose canina   Cinomose   Nanopartículas   Técnicas de diagnóstico animal

Resumo

O vírus da cinomose canina acomete animais da ordem carnivora, é altamente infecciosa e seu diagnóstico apresenta dificuldades devido aos seus sintomas inespecíficos. Desenvolver uma técnica rápida, precisa e de baixo custo é essencial para auxiliar os médicos veterinários no controle da doença. As nanopartículas de ouro são muito utilizadas na área biológica, principalmente devido às suas características como tamanho reduzido, elevada área superficial, propriedades ópticas e capacidade de formar ligações com diversas moléculas. Pequenas mudanças na superfície das nanopartículas de ouro, principalmente a formação de redes de nanopartículas, causa mudança de coloração visível a olho nu, tornando fácil a análise de ligações de moléculas à superfície. Sondas DNA são amplamente utilizadas como elementos de reconhecimento, pois são altamente sensíveis e específicas, sua modificação com grupo thiol torna possível uma ligação direta com a nanopartícula de ouro. Dessa forma, três sondas diferentes modificadas com grupos thiol, cauda poli-Guanina e poli-Citosina serão utilizadas em conjunto para formar uma rede de nanopartículas na presença do RNA viral em amostras de urina de cães infectados pelo vírus. (AU)