Busca avançada
Ano de início
Entree

Depois do fogo, de onde rebrotam as plantas? avaliação do banco de gemas e órgãos subterrâneos do cerrado

Processo: 17/02934-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Alessandra Tomaselli Fidelis
Beneficiário:Aline Bertolosi Bombo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/06743-0 - Como a época do fogo afeta a vegetação do cerrado?, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):18/17612-2 - Efeito da frequência do fogo no banco de gemas e órgãos subterrâneos na savana africana, BE.EP.PD
Assunto(s):Campo sujo

Resumo

O fogo é um dos principais fatores que garante a manutenção de fisionomias abertas em ecossistemas inflamáveis, controlando as espécies dominantes e atuando na hierarquia de competição em comunidades vegetais. A vegetação do Cerrado tem sido influenciada pela presença do fogo há pelo menos 4 milhões de anos e sua flora, principalmente a do estrato herbáceo-subarbstivo, é tipicamente pirofítica e adaptada à perda frequente de biomassa aérea; além disso, as plantas possuem atributos que aumentam suas chances de sobrevivência após eventos de fogo, como a alocação da biomassa para órgãos subterrâneos juntamente com acúmulo de reservas, e a capacidade de rebrota através de gemas aéreas ou subterrâneas. A determinação do tipo de órgão subterrâneo em ecossistemas inflamáveis é importante para se entender os padrões de regeneração da vegetação pós-fogo, uma vez que tipos morfológicos diferentes podem possuir estratégias distintas. Dada à importância do Cerrado no Brasil, pois este ocupa 22% do território nacional, e a rápida degradação deste ambiente devido a pressões antrópicas, o entendimento das estratégias adaptativas relacionadas à sobrevivência e persistência das populações nesses ambientes é de suma importância, uma vez que tais estudos podem subsidiar os planos de manejo e conservação em áreas protegidas. Assim sendo, pretende-se avaliar o banco de gemas e a diversidade de órgãos subterrâneos em comunidades vegetais em áreas de Cerrado, sob diferentes regimes de fogo, com a finalidade de levantar atributos funcionais e relacioná-los com as respostas da vegetação após eventos de fogo.