Busca avançada
Ano de início
Entree

Ativação de neurônios CRF do núcleo leito da estria terminal (NLET) em ratos expostos ao estresse de derrota/testemunha

Processo: 17/26566-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Carlos Cesar Crestani
Beneficiário:Leandro Augusto de Oliveira
Supervisor no Exterior: Susan Kathleen Wood
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of South Carolina, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:14/23082-5 - Estudo da participação da neurotransmissão CRFérgica do núcleo leito da estria terminal (NLET) no controle da função cardiovascular em ratos: envolvimento nas alterações cardiovasculares induzidas pelo estresse crônico variável?, BP.DR
Assunto(s):Neurofarmacologia   Núcleos septais   Imuno-histoquímica   Estresse psicológico

Resumo

O núcleo leito da estria terminal (NLET) é uma estrutura límbica envolvida nas respostas comportamentais, neuroendócrinas e autônomas a eventos aversivos. Entretanto, os mecanismos neuroquímicos envolvidos no NLET sobre o controle das respostas ao estresse são pouco compreendidos. Estudos prévios mostraram o envolvimento da neurotransmissão mediada pelo fator liberador de corticotropina (CRF) no NLET sobre as respostas cardiovasculares ao estresse. Estas evidências foram obtidas utilizando o estresse emocional tradicional, como a restrição e o medo condicionado. Porém, o possível papel do NLET sobre o controle das respostas cardiovasculares provocadas em modelos animais de estresse social nunca foi investigado. Estressores sociais são considerados mais etológicos e translacionais do que a restrição e o medo condicionado. Neste sentido, o paradigma de derrota social intruso-residente é frequentemente utilizado como modelo de estresse social em roedores e conhecido por promover alterações comportamentais e fisiológicas. Como a maior parte da derrota social no paradigma intruso-residente envolvem ataques físicos, o modelo social de derrota-testemunha, que consiste no rato assistir os episódios da interação social mas não sendo sujeito à qualquer contato físico, emergiu como um mecanismo que permite a comparação entre a exposição física e psicológica ao estresse social. Portanto, o objetivo deste estudo é determinar a ativação de neurônios CRF no NLET em ratos machos expostos agudamente ao estresse de derrota social-testemunha. Para isto serão quantificados os neurônios duplamente marcados para Fos e CRF no NLET de ratos derrotados e testemunhas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.