Busca avançada
Ano de início
Entree

Manutenção de colônias de carrapatos e de células de carrapatos em cultivo

Processo: 17/26457-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 17 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Sirlei Daffre
Beneficiário:Giovanna Ribeiro da Silva
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/26450-2 - Caracterização molecular das interações entre carrapatos, riquétsias e hospedeiros vertebrados, AP.TEM
Assunto(s):Biologia celular   Interações hospedeiro-patógeno   Interações hospedeiro-parasita   Carrapatos   Rhipicephalus

Resumo

Os objetivos propostos no Projeto Temático ao qual o presente projeto está vinculado envolvem estudos de diferentes aspectos da interação carrapatos-riquétsias, utilizando para isso ensaios in vitro (células de carrapatos Rhipicephalus microplus - BME26 - mantidas em cultivo) e estudos in vivo (carrapatos Amblyomma). Sistemas de cultivo de células in vitro, principalmente de células de vetores e hospedeiros, têm se mostrado uma ferramenta potente para o estudo da biologia dos parasitas e da relação parasita-hospedeiro. O cultivo de células embrionárias do carrapato R. microplus e a sua utilização para a amplificação de A. marginale foi previamente estabelecido pelo grupo da Profa. Sirlei Daffre. O grupo da Profa. Andréa Fogaça também estabeleceu com sucesso a infecção dessa linhagem com R. rickettsii. Esses modelos, além de permitirem um grande controle das condições experimentais, permitem ainda que se realize a avaliação das interações moleculares entre carrapatos e os patógenos por eles transmitidos sem para isso envolver o uso de animais vertebrados. Os estudos utilizando modelos in vivo, por sua vez, representam um desafio aos seus executores. No nosso caso, a obtenção de carrapatos em grande quantidade e em condições controladas não é um trabalho trivial. Neste sentido, estamos em fase final da implementação de um laboratório de biossegurança 3 (NB-3) no Depto. de Parasitologia do ICB-USP. Para garantir o bom funcionamento de tal estrutura e produção adequada de carrapatos, bem como de células de carrapatos em cultivo, o envolvimento de uma equipe técnica treinada é fundamental. Dessa forma, o objetivo principal do presente projeto é de manter as células de carrapatos R. microplus (BME26) em cultivo e as colônias de carrapatos Amblyomma para os experimentos propostos no Projeto Temático. (AU)