Busca avançada
Ano de início
Entree

Jaboticaba, Jambo e Jamelão: efeitos de frutas ricas em polifenóis sobre a hepatocarcinogênese associada à fibrose

Processo: 17/17516-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Luís Fernando Barbisan
Beneficiário:Isadora Penedo de Souza
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Carcinoma hepatocelular   Fibrose   Jambo   Jabuticaba   Antioxidantes   Modelos animais

Resumo

Mundialmente, o carcinoma hepatocelular (CHC) é a 4ª e 2ª neoplasia maligna de maior incidência e mortalidade, respectivamente. Por outro lado, estudos epidemiológicos indicam que o consumo de vegetais reduz o risco de desenvolvimento de CHC: a cada 100 g consumidos/dia, observam-se reduções de 8% até 17%. Nos últimos anos, as frutas ricas em antocianinas da família Myrtaceae, a jaboticaba (Myrciaria cauliflora), o jambo (Syzygium malaccense) e o jamelão (Syzygium cumini), atraem atenção da pesquisa científica pela sua capacidade antioxidante e, assim, potencial para a prevenção e/ou tratamento de doenças crônicas. Assim, a proposta avaliará se a ingestão das cascas desidratadas de jaboticaba, jambo ou jamelão atenuará o desenvolvimento de hepatocarcinogênese associada a fibrose em camundongos. Para tanto, camundongos C3H/HeJ fêmeas receberão dose única intraperitoneal (i.p.) de dietilnitrosamina (10 mg/Kg peso corpóreo [p.c.], em salina 0.9%) no 14º dia pós-natal. A partir da 8ª até 16ª semana, os animais receberão três doses semanais de tetracloreto de carbono (i.p., dose inicial de 0.25 ¼L/g p.c. e dose máxima de 1.50 ¼L/g p.c., solução 10% em óleo de milho). Além disso, da 7ª até a 17ª semana, os animais receberão dietas basais acrescidas (2%) das cascas desidratadas e trituradas de jaboticaba, jambo ou jamelão. Os animais serão eutanasiados ao final da 17ª semana. Amostras hepáticas serão coletadas para a análise histopatológica (incidência, número, tamanho e área agregada de lesões pré-neoplásicas em HE), análise morfométrica de colágeno e determinação do grau de fibrose (Sirius Red) e imunoistoquímica para Ki-67 (proliferação celular), caspase-3 clivada (apoptose) e ±-actina de músculo liso (marcador de células estreladas ativadas). Outras amostras hepáticas serão destinadas à determinação atividade ou quantidade de agentes antioxidantes (glutationa reduzida e total, glutationa peroxidase e S-transferase, catalase e superóxido dismutase) e de peroxidação lipídica. Amostras de soro serão utilizadas para a determinação de alanina e aspartato aminotransferases. Os dados serão analisados por ANOVA ou Kruskal-Wallis e testes posthoc de Tukey ou Dunn, respectivamente (p<0.05). A análise das cascas desidratadas das frutas por cromatografia líquida de alta eficiência revelou grande quantidade de antocianinas. (AU)