Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação histológica e histomorfométrica de enxertos autógeno e xenógeno onlay: estudo experimental em mandíbulas de coelhos

Processo: 17/24969-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Samuel Porfirio Xavier
Beneficiário:Lucas Barros Chaves
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Implantodontia   Enxerto ósseo   Transplante autólogo   Mandíbula   Modelos animais

Resumo

A busca por substitutos ósseos vem aumentando substancialmente nos últimos anos. Nesse cenário, o osso xenógeno tem sido empregado na reconstrução dos maxilares no intuito diminuir os inconvenientes da utilização do osso autógeno. Os objetivos deste trabalho são: 1) investigar as características histológicas de enxertos ósseos xenógenos em bloco em mandíbula de coelho; 2) comparar, através de medidas histomorfométricas, os enxertos autógeno e xenógeno com relação aos processos de incorporação e remodelação dos enxertos. Trinta e seis coelhos adultos, machos, raça New Zealand White, pesando 3,5 a 4,0 kg, foram submetidos à cirurgia de enxerto onlay em mandíbula bilateralmente. Os animais foram divididos em dois grupos: Grupo I - enxertia com blocos de osso autógeno (n = 6); Grupo II - (n =6) enxertia com blocos de osso xenógeno. Serão utilizados seis períodos de avaliação, com sacrifício programado para: 07, 20 e 60 dias após a cirurgia. Para avaliação histológica e histomorfométrica, serão consideradas as seguintes estruturas: osso neoformado, osso autógeno residual, osso xenógeno remanescente, tecido conjuntivo e outros achados relevantes encontrados durante a análise. Os dados obtidos serão analisados estatisticamente por meio de ANOVA, e testes t de Student e Mann-Whitney. (AU)