Busca avançada
Ano de início
Entree

Scaffolds quitosana-cálcio para modulação da regeneração do complexo dentino-pulpar: análise do potencial quimiotático em modelo realístico in vitro

Processo: 17/24198-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Josimeri Hebling
Beneficiário:Deise Isabela Moreira dos Anjos
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/15674-5 - Associação de técnicas de engenharia tecidual para modulação da regeneração de tecidos mineralizados sob inflamação degenerativa: análise em modelos de cultura-3D em biorreator de perfusão e inflamatórios em animais, AP.JP
Assunto(s):Engenharia tecidual   Biomateriais   Células-tronco   Células cultivadas   Tecidos suporte   Quitosana   Fatores quimiotáticos   Necrose da polpa dentária

Resumo

A regeneração do complexo dentino-pulpar através do emprego de scaffolds macro-porosos associados a fases minerais que induzam a expressão do fenótipo osteoblástico/odontoblástico de células pulpares humanas (DPSCs), tem demonstrado ser um tratamento promissor para a odontologia, principalmente pela sua semelhança estrutural com a matriz extracelular dentinária. Assim, o objetivo deste estudo é avaliar o potencial bioativo de scaffolds macro-porosos de quitosana contendo cálcio sobre DPSCs, utilizando um modelo de cultura tridimensional (3D) e câmaras pulpares artificiais com pressão intra-pulpar simulada (pCPAs). Para isto, uma solução a 2% de quitosana será formulada e a esta será adicionada uma suspensão rica em cálcio 1%, seguida da distribuição em moldes de teflon para serem submetidos ao processo de separação de fases em baixas temperaturas, obtendo-se, desta forma, scaffolds porosos. Em seguida, as DPSCs serão obtidas por desagregação enzimática do tecido pulpar de terceiros molares hígidos, sendo caracterizadas através de marcadores de células-tronco e com uso de imunofluorescência. Então, essas células serão semeadas em culturas 3D, que ficarão em íntimo contato com os discos de dentina, e os scaffolds posicionados no interior das pCPAs. Este conjunto será conectado a uma coluna de 20 cm de meio de cultura para o estabelecimento da pressão intra-pulpar simulada. As superfícies dos scaffolds e da cultura 3D serão submetidos às análises de viabilidade celular (live/dead) e adesão/espalhamento celular (F-Actina) nos períodos de 1, 7 e 14 dias. Os dados serão avaliados de forma qualitativa. (AU)