Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel emergente da rev-erb-alfa nas adaptações moleculares a diferentes modelos de exercício físico

Processo: 17/12765-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Adelino Sanchez Ramos da Silva
Beneficiário:Alisson Luiz da Rocha
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia molecular   Exercício físico   Fadiga   Autofagia   Sistema nervoso central   Membro 1 do grupo A da subfamília 5 de receptores nucleares   Modelos animais   Immunoblotting   Reação em cadeia da polimerase em tempo real   Cromatografia líquida de alta pressão

Resumo

Recentemente foi evidenciado que o receptor nuclear rev-erb-alfa possui importante papel na adaptação da capacidade oxidativa do músculo esquelético, modulando a via de sinalização da AMPK. O exercício físico de endurance classicamente é capaz de ativar essa via de sinalização, porém os efeitos desse e de outros modelos de exercício físico (resistido e exaustivo) sobre a rev-erb-alfa permanecem desconhecidos. Além da regulação a nível transcricional dessa via de sinalização, já foi demonstrado que a rev-erb-alfa também é capaz de regular negativamente a autofagia no músculo esquelético e a biossíntese de dopamina no hipocampo. Sugere-se na literatura que a dopamina, juntamente com a serotonina, possui papel no desenvolvimento da fadiga do Sistema Nervoso Central (SNC). Resumidamente, a rev-erb-alfa é candidata a modular as adaptações moleculares que medeiam o desempenho físico, fadiga do SNC e autofagia. Dessa maneira, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo principal investigar o papel da rev-erb-alfa nas adaptações moleculares induzidas por diferentes modelos de exercício que regulam o desempenho físico, fadiga do SNC e autofagia. Os camundongos serão divididos em 5 grupos: controle (CT; sedentários); endurance I (END1; submetidos ao protocolo de exercício físico aeróbio 1); endurance II (END2; submetidos ao protocolo de exercício físico aeróbio 2), resistido (RES; submetidos ao protocolo de exercício físico de força) e exaustivo (OT; submetidos ao protocolo de overtraining em declive). Como característica translacional, compararemos o RNA mensageiro da rev-erb-alfa e dos genes autofágicos entre indivíduos sedentários e treinados. Os métodos que serão empregados incluem: immunoblotting, real time-PCR, análise por imunofluorescência e HPLC. De acordo com a distribuição estatística dos dados, serão utilizados testes paramétricos ou não paramétricos. Será adotado o nível de significância de p<0,05. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA ROCHA, ALISSON L.; PINTO, ANA P.; KOHAMA, EIKE B.; PAULI, JOSE R.; DE MOURA, LEANDRO P.; CINTRA, DENNYS E.; ROPELLE, EDUARDO R.; DA SILVA, ADELINO S. R. The proinflammatory effects of chronic excessive exercise. CYTOKINE, v. 119, p. 57-61, JUL 2019. Citações Web of Science: 0.
PINTO, ANA P.; DA ROCHA, ALISSON L.; KOHAMA, EIKE B.; GASPAR, RAFAEL C.; SIMABUCO, FERNANDO M.; FRANTZ, FABIANI G.; DE MOURA, LEANDRO P.; PAULI, JOSE R.; CINTRA, DENNYS E.; ROPELLE, EDUARDO R.; DE FREITAS, ELLEN C.; DA SILVA, ADELINO S. R. Exhaustive acute exercise-induced ER stress is attenuated in IL-6-knockout mice. Journal of Endocrinology, v. 240, n. 2, p. 181-193, FEB 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.