Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do bagaço de cana de açúcar como doador de elétron de lenta liberação para redução de sulfato acoplado a recuperação de metal de drenagem ácida de minas

Processo: 18/01524-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 17 de setembro de 2018
Vigência (Término): 16 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Denise Bevilaqua
Beneficiário:Rachel Biancalana Costa
Supervisor no Exterior: Piet Lens
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : National University of Ireland, Galway (NUI Galway), Irlanda  
Vinculado à bolsa:16/13603-3 - Influência de doadores de elétrons para a recuperação de sulfetos metálicos a partir de drenagem ácida de minas, BP.PD
Assunto(s):Tratamento de águas residuárias   Drenagem ácida de minas

Resumo

O presente plano de pesquisa propõe investigar a viabilidade do bagaço de cana-de-açúcar (SB) como doador de elétrons de liberação lenta (SRED) para redução de sulfato, procurando aplicá-lo em recuperação de metais a partir da drenagem de minas ácidas (AMD). A drenagem de minas ácidas representa um passivo ambiental, e as tecnologias baseadas na redução biológica do sulfato presente nesses despejos permitiriam a recuperação de metais aliada a mitigação de impactos. No entanto, as bactérias redutoras de sulfato exigem a adição de um doador de elétrons, e este trabalho se baseia na hipótese de que o bagaço de cana pode ser uma opção conveniente. O bagaço de cana-de-açúcar é abundante em países tropicais e se caracteriza pelo alto teor de lignocelulose que, por sua vez, é adequada para redução de sulfato. A atividade hidrolítica é necessária para liberar lentamente dadores de elétrons para serem usados pelos microrganismos redutores de sulfatos. Supõe-se que essa lenta liberação deverá criar áreas supersaturadas com sulfeto, melhorando as condições para a precipitação de sulfetos metálicos com boas propriedades de sedimentação. São propostas duas abordagens experimentais: inicialmente, avaliaremos a viabilidade do bagaço de cana-de-açúcar como SRED para redução de sulfato. Concebemos cinco condições a serem conduzidas em batelada. As atividades de fermentação hidrolítica serão avaliadas sob condições de redução de sulfato e na presença de metais, para testar se qualquer uma dessas condições poderia inibir a atividade hidrolítica. A segunda abordagem pretende avaliar o destino dos metais de uma AMD sintética sob condições biológicas de redução de sulfato e usar SB como o doador de elétrons. Estudos de sorção sobre SB e biomassa inativa serão conduzidos paralelamente à remoção de metal em reatores biológicos em batelada.