Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da própolis em marcadores imunológicos, inflamatórios e de estresse oxidativo em pessoas que vivem com HIV/AIDS (PVHA) sob tratamento antirretroviral

Processo: 17/14846-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Pesquisador responsável:José Maurício Sforcin
Beneficiário:Karen Ingrid Tasca
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):AIDS   Estresse oxidativo   Inflamação   HIV   Própolis   Intervenção

Resumo

Um dos atuais desafios na área de HIV/aids é o melhor entendimento sobre a inflamação crônica que os indivíduos infectados pelo vírus apresentam, pois a ativação imune é persistente, mesmo sob terapia antirretroviral (cART), sendo que os pacientes não sofrem apenas com imunodeficiência, mas principalmente com a imunossenescência. Estes mecanismos contribuem com o desenvolvimento de comorbidades não associadas à aids, tais como doenças cardiovasculares, comprometimento renal ou hepático, alterações ósseas, neoplasias, entre outras doenças que, atualmente, refletem as maiores causas de óbito desta população. Apesar dos incontestáveis benefícios da cART, seu uso prolongado e início cada vez mais precoce indica a necessidade de intervenções que diminuam seus efeitos deletérios, como toxicidade, estresse oxidativo e dislipidemias, que aceleram o aparecimento das comorbidades acima mencionadas. A própolis é um produto apícola que apresenta propriedades imunomoduladora, antioxidante, anti-inflamatória, e antiviral, entre outras. Neste ensaio clínico, nosso objetivo é verificar os perfis imunológico e metabólico de indivíduos infectados pelo HIV e sob cART em associação ou não com própolis. Os indivíduos farão uso de cápsulas de própolis ou placebo diariamente durante três meses, e serão avaliados também marcadores inflamatórios, de translocação microbiana e de estresse oxidativo nestes pacientes. Caso nossa hipótese sobre os efeitos benéficos da própolis seja confirmada, este será um passo importante para implementação de novas abordagens junto ao Sistema Único de Saúde, visando melhor qualidade de vida e sobrevida desta população.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.