Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma leitura das baladas românticas: variações do gênero e as manifestações do fantástico, do grotesco e do sublime

Processo: 17/13646-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literatura Brasileira
Pesquisador responsável:Fabiano Rodrigo da Silva Santos
Beneficiário:Isabelle dos Santos Guimarães
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Gêneros literários   Romantismo   Grotesco   Sublime

Resumo

A presente proposta de pesquisa visa investigar o modo como as baladas de temática sobrenatural assumem feito particular e mesmo inovador no romantismo brasileiro. Para isso, elege-se como corpus três baladas de autoria de poetas pertencentes ao ultrarromantismo brasileiros, "Octávio e Branca ou a Maldição Materna", de Cardoso de Meneses; "Meu sonho", de Álvares de Azevedo e "Orgia dos duendes", de Bernardo Guimarães. As considerações a serem efetuadas partem da hipótese de que o gênero da balada, de natureza híbrida, favoreceu a experiência com a flexibilização de gêneros literários mediante o cultivo de uma poesia, por um lado, sugestiva e hermética e, por outro, rebelde diante dos modelos estéticos estabelecidos. A partir dos usos particulares que os três poemas fazem da linguagem do fantástico, do sublime e do grotesco, e do modo como exploram o trânsito entre formas literárias, na instância da balada, efetuando a conversão do repertório da poesia narrativa e dramática em expedientes de expressão lírica ou a fusão entre o tom elevado e baixo, pretende-se demonstrar como o gênero da balada foi cultivado em nosso romantismo como plataforma de renovação estética. (AU)