Busca avançada
Ano de início
Entree

"avaliação de alterações morfológicas e moleculares induzidas por nanopartículas de dióxido de titânio (nano-TiO2) em embriões do ouriço-do-mar tropical Lytechinus variegatus (Lamarck, 1816)"

Processo: 17/25568-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Fisiologia dos Grupos Recentes
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:José Roberto Machado Cunha da Silva
Beneficiário:Letícia Palmeira Pinto
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas   Lytechinus variegatus

Resumo

Nanopartículas (NPs) constituem uma fonte de poluição ambiental difusa e de difícil remediação, tornando-se assim, um grande e crescente problema ambiental. Dentre os diferentes tipos de NPs, as de dióxido de titânio (nano-TiO2) estão presentes em inúmeros produtos de consumo humano. Por decorrência dessa ampla utilização, as nano-TiO2 podem ser inseridas facilmente de maneira passiva em ecossistemas marinhos. Os ouriços-do-mar são considerados excelentes bioindicadores para avaliar a toxicidade de muitos compostos químicos que são considerados estressores ambientais, especialmente durante seus estágios embrionários. A exposição à NPs em estágios inicias pode, principalmente, implicar no desenvolvimento e estabelecimento dessas espécies, especialmente em águas costeiras onde as NPs estão menos difusas e em concentrações maiores. Considerando os efeitos nocivos em ambiente marinho, o presente trabalho tem por objetivo avaliar os efeitos da exposição a nano-TiO2 (1 e 5 ¼g/mL) em embriões do ouriço-do-mar tropical Lytechinus variegatus (12 e 24 h pós-fertilização). Para tanto, serão avaliados os seguintes parâmetros: morfológicos, levando em consideração malformações; perfil transcricional de genes e componentes de vias de sinalização induzidos frente ao estresse ambiental (HSPs e MPKs); e o possível acúmulo de nano-TiO2 por microscopia eletrônica de transmissão. Desta forma, os resultados trarão uma nova perspectiva para o potencial impacto da nano-TiO2 durante o desenvolvimento do ouriço-do-mar tropical, podendo contribuir com novas ferramentas para o biomonitoramento em ambiente marinho tropical. (AU)