Busca avançada
Ano de início
Entree

Possível participação do sistema endocanabinoide no núcleo leito da estria terminal na modulação das respostas induzidas pelo medo condicionado ao contexto em ratos

Processo: 17/16913-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Leonardo Resstel Barbosa Moraes
Beneficiário:Anna Bárbara Borges de Assis
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Neurofarmacologia   Endocanabinoides   Receptores de canabinóides   Núcleos septais   Condicionamento do medo   Modelos animais

Resumo

Esse projeto tem o objetivo de investigar o papel do sistema endocanabinóide, via receptores canabinóides CB1 e CB2 presentes no Núcleo Leito da Estria Terminal (NLET). Essa estrutura límbica tem importante papel na integração de informações associadas com controle autonômico, endócrino e comportamental frente a situações aversivas, nas respostas evocadas pelo modelo do Medo Condicionado ao Contexto (MCC). Para cumprir com o objetivo de pesquisa, ratos Wistar serão implantados com cânulas guia bilateralmente no NLET para administração farmacológica. Após cinco dias de recuperação, os animais serão submetidos ao protocolo do medo condicionado ao contexto, realizado em 3 dias consecutivos. No dia 1, os animais serão habituados à caixa de condicionamento por 10 minutos (sessão de habituação). Em seguida, os animais serão re-expostos a caixa e serão deflagrados choques inescapáveis nas patas (sessão de condicionamento, protocolo de alta ou baixa intensidade). No dia 2 será implantado um cateter de polietileno na artéria femoral para avaliação dos parâmetros cardiovasculares. No dia 3, os animais serão novamente reexpostos à caixa, sem choque (sessão teste). Neste dia, serão avaliadas respostas emocionais condicionadas (comportamento de congelamento e alterações autonômicas de pressão arterial média, frequência cardíaca e temperatura cutânea da cauda) durante 10 min. Os compostos farmacológicos e o veículo serão administrados aos animais através de microinjeções no NLET, 10 min antes da sessão teste. Nossa hipótese é que os receptores canabinóides CB2, juntamente com os receptores CB1, expressos no NLTE, modulam a resposta emocional condicionada no modelo do MCC. Ainda, o efeito ansiogênico observado após antagonismos desses receptores dependa dos sistemas glutamatérgico e nitrérgico presentes no NLET. (AU)