Busca avançada
Ano de início
Entree

Relações interpessoais ao longo da vida de pessoas em situação de rua: perspectivas de novas práticas de saúde para o consumo de álcool e outras drogas

Processo: 17/22150-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Ana Regina Noto
Beneficiário:Marília Ignácio de Espíndola
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/19472-5 - Intervenções inovadoras frente a problemas relacionados ao consumo do álcool no Brasil: busca de novas abordagens para uma antiga questão de saúde pública, AP.TEM
Assunto(s):Relações interpessoais   Pessoas em situação de rua   Ciclo de vida

Resumo

Introdução. O uso arriscado de álcool e de outras drogas é uma das principais vulnerabilidades das pessoas em situação de rua. Porém, para fundamentar novas práticas direcionadas à promoção de saúde e bem-estar dessa população é necessário, paradoxalmente, ampliar o foco de atenção para além do uso em si, mas principalmente para as pessoas e suas relações interpessoais. O Tratamento Comunitário é uma abordagem inovadora que propõe essa mudança de enfoque. Embora existam muitos estudos etnográficos sobre situação de rua, poucos evidenciam o processo de desenvolvimento humano e as relações interpessoais como recursos para a busca de novas práticas em saúde. Objetivos. Visando levantar subsídios para políticas e ações inovadoras, este estudo tem por objetivo compreender, a partir Teorias da Psicologia Social e do Desenvolvimento Humano, como as relações interpessoais e o consumo de álcool e de outras drogas se estabelecem ao longo do ciclo vital de pessoas em situação de rua nas regiões urbanas do município de São Paulo.Métodos. Esse estudo seguirá referencial metodológico qualitativo, a ser realizado em três regiões centrais de São Paulo. Serão utilizados três métodos: observação participante, entrevistas com informantes chave e entrevistas com pessoas em situação de rua, adultas, usuárias de álcool ou outras drogas. As entrevistas serão gravadas em áudio e as observações serão registradas em diários de campo. O material será transcrito e submetido à análise de conteúdo. O número de participantes será determinado ao longo do processo, a partir da saturação teórica. Para confiabilidade dos resultados, será adotada a técnica triangulação por métodos e por pares. Os procedimentos foram alinhados aos critérios do COREQ (Consolidated criteria for reporting qualitative research) e SRQR (Standards for Reporting Qualitative Research). (AU)