Busca avançada
Ano de início
Entree

ELISA plasmônica na detecção ultra-sensível de anticorpos IgG anti-Leishmania sp

Processo: 17/11016-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Valéria Marçal Felix de Lima
Beneficiário:Marilene Oliveira dos Santos Maciel
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Leishmaniose visceral animal   ELISA em animal   Técnicas de diagnóstico animal

Resumo

Na Leishmaniose Visceral (LV) a maioria dos cães desenvolvem uma resposta imune humoral, com altos títulos de IgG anti-Leishmania sp. e uma grande variedade de sinais clínicos da leishmaniose. No entanto, em áreas endêmicas muitos cães infectados apresentam-se assintomáticos e, algumas vezes com baixo títulos de anticorpos, que são indetectáveis pelos métodos sorológicos convencionais existentes. Com o intuito de suprir esta limitação surge o ELISA plasmônica (pELISA), considerado eficaz na detecção ultra-sensível de vários biomarcadores de doenças importantes. Nesta perspectiva a presente pesquisa objetiva validar uma estratégia de pELISA para a detecção de anticorpos IgG anti-Leishmania sp. Um número (n) total de 180 amostras sanguíneas de cães adultos, de ambos os sexos serão obtidas a partir da rotina de coleta do inquérito sorológico canino dos diferentes setores do município de Araçatuba/SP área endêmica para LV. Serão também utilizadas 35 amostras sanguíneas de cães adultos, de ambos os sexos, obtidas a partir da rotina laboratorial de uma área não endêmica para a doença. As amostras sorológicas serão testadas utilizando a técnica de pELISA e comparados ao ELISA convencional e adotando-se como "padrão ouro" o PCR em tempo real em sangue periférico. A pesquisa prevê ainda quantificar a carga parasitária em amostras de biópsia de pele e/ou swab de mucosa subconjuntival de cães positivos no pELISA mas negativos no ELISA convencional por meio de qPCR e, identificar o título mínimo de anticorpos que ambas as técnicas podem detectar em amostras com sorologia positiva. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DOS SANTOS MACIEL, MARILENE OLIVEIRA; SOARES, MATHEUS FUJIMURA; COSTA, SIDNEI FERRO; BRAGATO, JAQUELINE POLETO; DE FREITAS, JESSICA HENRIQUE; VENTURIN, GABRIELA LOVIZUTTO; MELO, LARISSA MARTINS; REBECH, GABRIELA TORRES; REED, STEVE; FELIX DE LIMA, VALERIA MARCAL. Development of plasmonic ELISA for the detection of anti-Leishmania sp. IgG antibodies. JOURNAL OF IMMUNOLOGICAL METHODS, v. 474, NOV 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.