Busca avançada
Ano de início
Entree

Nitrogênio no sistema solo-planta após a aplicação de calcário e gesso em semeadura direta

Processo: 17/22134-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Ciro Antonio Rosolem
Beneficiário:Murilo de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/50305-8 - A virtual joint centre to deliver enhanced nitrogen use efficiency via an integrated soil-plant systems approach for the UK & Brazil, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):19/15042-7 - Comunidade microbiana do solo após aplicação de calcário e do gesso em sistema de semeadura direta, BE.EP.DR
Assunto(s):Química do solo   Fertilizantes nitrogenados   Zea mays

Resumo

Grande parte do milho brasileiro tem sido cultivado em segunda safra, após a soja, mas ainda não há informações precisas sobre sua resposta ao N, bem como sobre as consequências na próxima cultura da soja. A hipótese é que o N residual deixado pela soja, principalmente em solo corrigido, pode ser aproveitado pelo milho cultivado em seguida, que deverá responder a doses mais baixas de adubo nitrogenado. O objetivo do trabalho é avaliar a eficiência do uso de N pela cultura do milho cultivado em consórcio com Panicum maximum na segunda safra, e a dinâmica do N no solo em sistema semeadura direta em função da correção da acidez do solo utilizando calcário e gesso. Foi instalado um experimento subsequente à cultura da soja com o milho em consórcio com o Panicum maximum, nos anos agrícolas de 2017 e será conduzido até 2019. Os tratamentos constam da aplicação de calcário, calcário + gesso e controle (sem aplicação de corretivos) na cultura da soja, e quatro doses de N (0, 80, 160, 240 kg ha-1 de N) aplicadas para a cultura do milho. No tratamento com 160 kg ha-1 N será realizada aplicação de sulfato de amônio enriquecido em 15N, para avaliação do aproveitamento do N fertilizante. O solo da área experimental foi amostrado (0-10, 10-20, 20-40, 40-60 e 60-80 cm de profundidade) antes da aplicação dos tratamentos e antes da semeadura da soja em 2016, e será novamente amostrado em 2017, 2018 e 2019. A solução do solo será coletada por meio de extratores de cápsula porosa, para análise e especiação iônica de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, cloro, boro, manganês, flúor, ferro, cobre e zinco, além da determinação de pH. A distribuição do sistema radicular das culturas no perfil do solo será avaliada. O aporte e a persistência de palha sobre o solo será avaliado periodicamente determinando-se a massa e os teores de 15N dos resíduos vegetais secos e também os teores de N. Os resultados serão submetidos à análise de variância, teste de t, correlação e regressão polinomial.Palavras-chave: Glycine max L.; Zea mays L. Adubação nitrogenada; Solução do solo.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)