Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização de biofilmes polimicrobianos obtidos a partir de lesões cariosas em dentina

Processo: 17/25904-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Fernanda Lourenção Brighenti
Beneficiário:Lorena Petrucelli Freire de Carvalho
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Odontopediatria   Saliva   Cárie dentária   Placa bacteriana   Dentina

Resumo

O cultivo de biofilmes mono-espécie é uma metodologia limitada pois não mimetiza a complexidade dos biofilmes dentários e não representa a diversidade natural existente. O estudo de biofilmes polimicrobianos tem sido uma alternativa ao uso de biofilmes mono-espécie, cuja fonte de micro-organismos é a própria saliva. Entretanto, o uso de saliva ao invés da dentina cariada como inóculo de biofilmes cariogênicos tem sido criticado, já que a microbiota presente em lesões cavitadas de cárie pode apresentar micro-organismos mais patogênicos do que aqueles presentes na saliva. Até o momento, não há dados a respeito das características de biofilmes polimicrobianos formados in vitro a partir da dentina cariada em comparação a biofilmes formados a partir da saliva. Desta forma, o objetivo deste trabalho será validar o uso da saliva ou de lesões cariosas em dentina como inóculo para formação de biofilmes polimicrobianos in vitro. Para o crescimento dos biofilmes polimicrobianos, serão utilizadas amostras de dentina infectada e saliva de três doadores previamente selecionados e estas amostras serão combinadas e congeladas a -80 °C até o momento para utilização. Alíquotas destas amostras serão adicionadas ao caldo McBain suplementado com 0,5% de sacarose. Os biofilmes crescerão na superfície de lâminulas de vidro em regime de fartura-miséria, alternando entre períodos de suplementação e meio de cultura sem adição de açúcar, durante 4 dias. Ao término do período experimental, os biofilmes serão analisados quanto a sua composição microbiana, suscetibilidade a clorexidina e acidogenicidade. (AU)