Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão de biomarcadores de lesão epitelial em tecido pulmonar proveniente de necropsia de pacientes diagnosticados com sepse e síndrome do desconforto respiratório agudo

Processo: 17/22903-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 02 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Luiz Fernando Ferraz da Silva
Beneficiário:Natália de Souza Xavier Costa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biomarcadores   Síndrome do desconforto respiratório agudo   Elafina   Sepse

Resumo

A síndrome do desconforto respiratório aguda (SDRA) é caracterizada do ponto de vista patológico por dano alveolar difuso, edema, hipoxemia grave, diminuição da complacência pulmonar, aumento do peso pulmonar, aumento do espaço morto fisiológico, aumento da formação da membrana hialina e hemorragia. A SDRA representa 10,4% das admissões da unidade de terapia intensiva, a taxa de mortalidade pode variar de 34,9% a 46,1% dependendo da sua gravidade e estima-se que 40% dos casos não são diagnosticados e um dos fatores que contribuem para isso é a presença de sepse. Como continua sendo um desafio identificar pacientes com SDRA e diferenciá-la de outras causas de insuficiência respiratória aguda, muitos estudos têm-se centrado na identificação de biomarcadores e apesar dos avanços nessa área, não existe um único e confiável biomarcador sendo utilizado na prática clínica atualmente. O objetivo deste estudo é avaliar e comparar a expressão dos biomarcadores RAGE, elafina, pré-elafina e SP-D no epitélio pulmonar de pacientes com SDRA, com sepse e indivíduos controle. Para tanto, será feito um levantamento de pacientes com diagnóstico de SDRA, pacientes com diagnóstico de sepse e sem critérios para SDRA e pacientes controles que faleceram de causas não pulmonares provenientes do HC-FMUSP e que tiveram suas necrópsias realizadas no Serviço de Verificação de Óbitos da Capital (SVOC). Fragmentos de tecido pulmonar coletados na rotina diagnóstica da necrópsia serão utilizados para análise imunohistoquímica de RAGE, SP-D, elafina e pré-elafina. A expressão proteica destes biomarcadores será mensurada no epitélio pulmonar e comparada entre os grupos. Além disso, estes parâmetros serão correlacionados com variáveis clínicas obtidas a partir da avaliação do prontuário.