Busca avançada
Ano de início
Entree

Resposta tecidual em modelo animal de condicionador de tecido contendo complexo de inclusão antifúngico: ²-ciclodextrina para tratamento de estomatite protética

Processo: 17/22996-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Karin Hermana Neppelenbroek
Beneficiário:Carolina Yoshi Campos Sugio
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Toxicidade   Ciclodextrinas   Estomatite sob prótese   Nistatina   Reembasadores de prótese   Próteses e implantes   Clorexidina

Resumo

A incorporação de agentes antifúngicos em materiais resilientes temporários para próteses removíveis pode ser uma alternativa ao tratamento da estomatite protética por romper o ciclo de reinfecção dos tecidos de suporte via prótese, atuando sobre os mesmos por meio dos fármacos incorporados, que são liberados gradativamente ao longo da vida útil desses materiais. Como esse protocolo pode interferir com as propriedades da matriz polimérica modificada, foram determinadas concentrações inibitórias mínimas (CIMs) de nistatina (Nis) e clorexidina (Clx) capazes de inativar o biofilme de C. albicans e, simultaneamente, não causar efeitos deletérios aos materiais resilientes temporários ao longo de sua vida útil. Entretanto, mesmo que a liberação desses antifúngicos ocorra no sistema diretamente para o local da infecção, é possível que resultem em certo grau de toxicidade e/ou interações medicamentosas e, para reduzir tais efeitos tem sido sugerida a formação de complexos de inclusão de fármacos com ciclodextrinas. Ao mesmo tempo, no sistema de liberação gradual de fármacos a partir de reembasadores resilientes de base acrílica, os efeitos citotóxicos causados pelas substâncias solúveis liberadas por esses materiais devem ser considerados. Foi demonstrado que a utilização de dispositivos intra-orais (DIOs) contendo reembasador resiliente temporário modificado pela CIM de cetoconazol causou significativa redução da camada de queratina do palato de ratos saudáveis, mas ainda são desconhecidas as alterações histopatológicas resultantes desses materiais modificados ou não por fármacos sobre os tecidos de suporte acometidos pela estomatite protética. Durante esse processo infeccioso, clinicamente, os tecidos de suporte das bases acrílicas de próteses removíveis são alterados pela degradação epitelial e invasão tecidual pelos fungos. Assim, o objetivo deste estudo será avaliar, em um modelo animal, a resposta tecidual após indução de estomatite protética e utilização de DIOs reembasados com condicionador tecidual modificado pelas CIMs de fármacos para biofilme de C. albicans testados em suas formas livres ou complexados com ²-ciclodextrina. Após a indução (ou não- controle positivo) de estomatite protética com o uso de DIOs contaminados com C. albicans por 4 dias, os ratos (n=42) terão seus dispositivos esterilizados e reembasados ou não por Softone sem ou com as CIMs de Nis ou Clx em suas formas livres ou complexadas. Após 7 dias de tratamento, os animais serão eutanasiados e região palatina entre molares submetida às seguintes análises: histopatológica qualitativa descritiva e quantitativa por planimetria computadorizada, morfologia das fibras colágenas (análise de birrefringência), expressão de marcadores de proliferação celular (PCNA), detecção de apoptose em nível celular (TUNEL), imunohistoquímica da expressão de citocinas mediadoras da inflamação (L-1² e TNF-±) e atividades das enzimas mieloperoxidase (MPO) e N-acetil-²-D-glicosaminidase (NAG). Os dados quantitativos obtidos serão analisados estatisticamente (±=0,05) e comparados aos dados qualitativos. (AU)