Busca avançada
Ano de início
Entree

Demanda conflitante entre a termorregulação comportamental e o estado de desidratação na falsa coral Oxyrhopus guibei (serpentes, Dipsadidae)

Processo: 17/21747-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Carlos Arturo Navas Iannini
Beneficiário:Dylan Jose Padilla Perez
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/17251-0 - A termorregulação conduz a evolução da coloração dorsal em lagartos tropidurídeos?, BE.EP.MS
Assunto(s):Comportamento   Metabolismo

Resumo

A maior parte dos répteis termorregulam ativamente usando ajustes comportamentais de forma a alcançar e manter a temperatura corporal preferida. No entanto, a busca de uma temperatura ótima é acompanhada por uma demanda conflitante com a potencial perda de água. Da mesma forma, há uma ampla gama de outras características de história de vida que governam a termorregulação comportamental, como o consumo de alimentos por exemplo. Por isso, o comportamento termorregulador deve enfrentar uma demanda conflitante com todas essas atividades fisiológicas. O objetivo deste estudo é testar as hipóteses de que: (1) indivíduos desidratados da falsa-coral Oxyrhopus guibei exibem uma preferencia por temperaturas menores do que os indivíduos hidratados a favor da conservação da água e (2) que indivíduos desidratados da falsa-coral O. guibei, após a alimentação, exibem um maior grau de termorregulação comportamental do que os indivíduos hidratados em jejum sem pagar nenhum custo de dessecação, devido à obtenção de água a partir da dieta e do metabolismo. Para testar essas hipóteses, usaremos um desenho fatorial completo no qual o efeito de dois fatores será avaliado em dois níveis sobre a temperatura preferida selecionada pelas cobras em um gradiente térmico. Esperamos que as cobras desidratadas selecionem temperaturas inferiores às hidratadas no gradiente térmico. De forma alternativa, também esperamos que a conservação da água seja provavelmente abandonada quando as cobras desidratadas sejam alimentadas, permitindo que elas busquem temperaturas mais altas em comparação com as cobras desidratadas em jejum. (AU)