Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação sistemática de impactos de ações e programas de CT&I

Processo: 18/00243-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 14 de julho de 2019
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Sergio Luiz Monteiro Salles Filho
Beneficiário:Heitor Berol da Costa Ribeiro de Paiva
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/17461-1 - Avaliação sistemática de impactos de ações e programas de CT&I, AP.R
Assunto(s):Política científica e tecnológica   Tecnologia   Inovação   Ciência   Agências de fomento

Resumo

A presente pesquisa justifica-se perante a necessidade de desenvolver e aplicar metodologias de avaliação de impactos multidimensionais em agências de fomento a PDI. Nesta linha, dois objetivos serão buscados, tendo como base três casos da FAPESP: 1) Explorar e desenvolver, dos pontos de vista conceitual e aplicado, possibilidades metodológicas de avaliação de impactos de programas da FAPESP a partir de dados secundários, provenientes tanto de bases estruturadas como não estruturadas, envolvendo inclusive Big Data; e 2) Desenvolver e implantar metodologia de avaliação contínua de impactos em agências de fomento, com aplicação em programas escolhidos da FAPESP. No presente projeto elegeu-se os seguintes programas/linhas de fomento como objetos de avaliação: Bolsas de iniciação científica, mestrado e doutorado; Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE); e Acordos Internacionais de Cooperação. Com esses três objetos será possível desenvolver metodologia, definir indicadores e formas de busca de dados e oferecer à FAPESP - com possíveis desdobramentos para outras agências - uma metodologia ao mesmo tempo conceitualmente sólida e aplicável para diferentes perfis de programas e linhas de fomento. Do ponto de vista metodológico, as seguintes diretrizes serão empregadas no trabalho: I) a avaliação de impactos deverá contar com contrafactuais; II) os indicadores serão identificados e validados com stakeholders; III) serão empregadas dados primários e secundários; IV) os dados obtidos serão tratados estatisticamente de forma a encontrar padrões e correlações, buscando identificar relações entre características e perfis de projetos e beneficiários com indicadores de resultados e impactos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.