Busca avançada
Ano de início
Entree

Impactos do manejo do solo em áreas de pastagens extensivas convertidas em cultivos de cana-de-açúcar e em pastagens intensivas

Processo: 18/00771-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Janaina Braga Do Carmo
Beneficiário:Camila Bolfarini Bento
Instituição-sede: Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade (CCTS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/18790-3 - Consequências ambientais da conversão pastagem-cana-de-açúcar e intensificação de pastagens, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Gases do efeito estufa   Fertilidade do solo   Carbono   Matéria orgânica do solo   Acidobacteria   Nitrogênio

Resumo

A redução nas emissões de gases do efeito estufa gerada pelo uso do etanol está associada à forma com que ocorrerão as mudanças de uso do solo para adoção da cultura canavieira, ou seja, em quais ecossistemas, com qual intensidade e mediante quais práticas agrícolas será implantada esta cultura. Uma das principais consequências do aumento da área plantada com cana-de-açúcar é a expansão da cultura para áreas de pastagem com algum nível de degradação. Dependendo do sistema de manejo adotado durante a conversão de pastagem para cana-de-açúcar a estrutura do solo, a diversidade microbiana e, consequentemente, as emissões de gases de efeito estufa poderão ser negativamente alteradas. Neste sentido, este projeto tem sido proposto a fim de avaliar os possíveis impactos na dinâmica do carbono e do nitrogênio, causados pela expansão da cana-de-açúcar sobre áreas de pastagem. As análises serão conduzidas em um experimento de longo-prazo a partir de uma abordagem multi-analítica, aplicando-se aos dados os modelos lineares mistos generalizados. Será avaliada a dinâmica da matéria orgânica do solo a partir do método de fracionamento físico, o qual permitirá calcular o índice do manejo do carbono do solo, bem como, dos estoques de carbono e nitrogênio nas diferentes frações do solo. Simultaneamente, as emissões de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso (GEE) serão quantificadas, as quais comporão uma base de dados que permitirá a simulação para cenários futuros das emissões de GEE por meio do modelo DayCent. Por fim, será avaliada a resposta de subgrupos de Acidobacteria às alterações nos atributos físicos e químicos do solo causadas pela MUS, a qual tem sido apontada por trabalhos prévios como potencial indicador microbiológico do efeito do manejo agrícola em solos tropicais. Os resultados a serem obtidos permitirão o melhor entendimento sobre as alterações na dinâmica da matéria orgânica e do grupo microbiano previamente indicado para avaliar alterações no ambiente do solo e acerca das emissões dos gases do efeito estufa.