Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias para a produção de hidrogênio a partir do licor de pentoses gerado a partir do pré-tratamento do bagaço da cana-de-açúcar para produção de etanol de segunda geração

Processo: 18/03334-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Marcelo Zaiat
Beneficiário:Liliane Folli Trindade
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/06246-7 - Aplicação do conceito de biorrefinaria a estações de tratamento biológico de águas residuárias: o controle da poluição ambiental aliado à recuperação de matéria e energia, AP.TEM
Assunto(s):Tratamento biológico anaeróbio   Monitoramento ambiental   Hidrogênio   Pentoses   Bagaço de cana-de-açúcar   Bioetanol   Biogás

Resumo

A grande dependência da humanidade por combustíveis fósseis gerou a necessidade do desenvolvimento de fontes alternativas de energia. Em paralelo, as preocupações com as mudanças climáticas propiciaram o desenvolvimento de fontes energéticas limpas e renováveis como o etanol. No Brasil, os apoios governamentais contribuíram para que esse tipo de energia fosse cada vez mais aceito e necessário. Assim, a crescente demanda pelo uso do etanol forneceu o cenário ideal para o desenvolvimento de técnicas que permitem a maximização da produção de etanol como a de produção de etanol de segunda geração. Este é produzido a partir do aproveitamento do material lignocelulósico após pré-tratamento do bagaço. Entretanto, durante o pré-tratamento alguns compostos ricos em carboidratos, como o licor de pentoses, são gerados. Desse modo, tem-se como alternativa utilizar estes compostos para geração de biogás a fim de se obter um melhor rendimento energético do processo. Assim, esta pesquisa objetiva identificar estratégias para a operação de reatores de modo que se obtenha um melhor aproveitamento energético do licor de pentoses por meio da produção de hidrogênio e assim contribuir para a maximização da produção de etanol pela aplicação de novas tecnologias. (AU)