Busca avançada
Ano de início
Entree

Velocidade de respostas de escolha como medida do grau de reorganização de classes de equivalência

Processo: 17/25786-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Deisy das Graças de Souza
Beneficiário:Giovan Willian Ribeiro
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Aprendizagem   Equivalência de estímulos

Resumo

Estudos que utilizam o procedimento de reversão de discriminações condicionais para modificar classes de equivalência têm apresentado divergências: enquanto alguns observam a reorganização das classes, outros obtêm resultados inconsistentes com as reversões. Uma limitação da área é o uso exclusivo de medidas de acurácia para verificar a reorganização das classes. A velocidade da resposta de escolha é uma medida que tem se mostrado sensível a efeitos que a acurácia não consegue detectar, além de ser empregada para avaliar o grau de relacionamento entre estímulos de classes de equivalência. Desse modo, o presente estudo tem como objetivo explorar a velocidade de resposta como uma medida do grau de reorganização de classes de equivalência. No experimento 1, universitários realizarão um treino para a formação de classes de equivalência. Em seguida, os participantes serão divididos em dois grupos. O grupo CDr realizará um treino de reversão de uma das relações ensinadas, enquanto o grupo controle será submetido a um treino de discriminações condicionais envolvendo novos estímulos. A seguir, as classes de equivalência serão novamente testadas. As velocidades de resposta no segundo teste serão comparadas entre os grupos para avaliar se o treino de reversão afeta o grau de relacionamento entre os estímulos. No experimento 2, dois grupos de universitários realizarão um treino para formação de classes seguido de um treino de reversão de uma das relações ensinadas. O grupo StF será submetido a um supertreino durante a fase de formação das classes e o grupo StR realizará o supertreino na fase de reorganização. Após 30 dias, será conduzido um teste de manutenção das relações de equivalência. A velocidade das respostas nos testes de reorganização será comparada entre os grupos para avaliar se a quantidade de treino produz diferentes graus de reorganização das classes. Além disso, será analisado se a velocidade de resposta está relacionada com a manutenção das classes. (AU)