Busca avançada
Ano de início
Entree

Sobre letras e leis: indianismo e justiça em Bernardo Guimarães

Processo: 17/21487-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Rodrigo Camargo de Godoi
Beneficiário:Larissa Alves Mundim
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21979-5 - Entre a escravidão e o fardo da liberdade: os trabalhadores e as formas de exploração do trabalho em perspectiva histórica, AP.TEM
Assunto(s):Literatura brasileira   Direito   Indianismo   Política indigenista   Romancista   Brasileiros   Século XIX

Resumo

O indianismo emergiu como uma das principais vertentes da literatura nacional no século XIX. Pode-se considerar que um dos pressupostos dessa vertente literária é a idealização do índio. No entanto, esta característica contrasta com a realidade imperial que o marginaliza. Em certos casos, os mesmos homens que lidavam com o cotidiano das políticas indigenistas também escreviam literatura indianista. Por conseguinte, selecionei Bernardo Guimarães como fio condutor da pesquisa. O autor formou-se bacharel em Direito, foi juiz na Província de Goiás, onde seguramente lidou com a questão indígena no tribunal e escreveu obras ficcionais protagonizadas por personagens indígenas. Dada a natureza da atuação do romancista no judiciário este projeto tem como método o cruzamento de fontes de procedências diversas. (AU)