Busca avançada
Ano de início
Entree

Calibração de proxies geoquímicos de paleotemperatura: estudo de caso na margem continental sudeste do Brasil

Processo: 18/04518-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 02 de junho de 2018
Vigência (Término): 03 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Geológica
Pesquisador responsável:Michel Michaelovitch de Mahiques
Beneficiário:Felipe Rodrigues
Supervisor no Exterior: Julie N. Richey
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : U.S. Geological Survey, St. Petersburg (USGS), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/14205-4 - Calibração de proxies geoquímicos de paleotemperatura: estudo de caso na margem continental sudeste do Brasil, BP.MS
Assunto(s):Paleoceanografia   Foraminifera   Sedimentologia marinha

Resumo

A proposta deste projeto é realizar uma calibração de proxies geoquímicos obtidos em sedimentos marinhos. Serão realizadas análises do grau de insaturação de alquenonas e, a partir de testes de três diferentes espécies de foraminíferos planctônicos, análises da razão elementar Mg/Ca e de´18O. Estas análises tem a finalidade de aprimorar as reconstruções de paleotemperatura na margem continental Sul-Sudoeste do Brasil, uma vez que a falta desta calibração resulta em estimativas de temperatura não muito robustas. O material de estudo é proveniente de três expedições oceanográficas realizadas com o N/Oc. Alpha Crucis, do IOUSP. Serão utilizadas 25 amostras de topo coletadas com auxílio de um multiple-corer e box-corer ao longo do Embaiamento de São Paulo, entre as latitudes de 24°S e 27°S. Serão realizadas análises do grau de insaturação de alquenonas e serão selecionadas as espécies de foraminíferos planctônicos Globigerinoides ruber (morfotipos pink e white s.s) nas frações de tamanho de 250 - 300mm e 300 - 355mm, e a espécie Globorotalia inflata, na fração de tamanho 315 - 425mm. Com os resultados dos proxies, serão testadas as equações de paleotemperatura para cada indicador. Ainda, os coeficientes de paleotemperatura da razão Mg/Ca serão testados e comparados com os dados de TSM atuais a fim de identificar o coeficiente mais adequado para a margem Sul-Sudoeste Brasileira. Esta calibração proporcionará dados mais robustos para futuros trabalhos dentro do ramo da Paleoceanografia e da Paleoclimatologia no Atlântico Sudoeste, auxiliando a entender a evolução paleoceanográfica desta margem ao longo Quaternário. (AU)