Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação de desidratação e tolerância térmica em massas de ovos da perereca de olhos vermelhos Agalychnis callidryas (Anura: Hylidae)

Processo: 18/04534-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Fernando Ribeiro Gomes
Beneficiário:Estefany Caroline Guevara Molina
Supervisor no Exterior: Karen Warkentin
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Smithsonian Institution, Panamá, Panamá  
Vinculado à bolsa:17/14382-3 - Interação do comportamento e fisiologia dos anuros em resposta ao estresse térmico e hídrico: uma abordagem para entender a vulnerabilidade dos anuros às mudanças climáticas, BP.MS
Assunto(s):Vulnerabilidade   Mudança climática   Anfíbios   Termotolerância

Resumo

O aumento da temperatura global está associado a mudanças na disponibilidade de água (por exemplo, chuvas de baixa freqüência), o que está causando secas em algumas regiões do mundo. Os anuros são um grupo particularmente sensível a essas mudanças ambientais, devido à sua condição ectotérmica e à exigência de corpos de água para sua reprodução. Existem vários fatores que afetam a biologia desses organismos, o que o torna um dos grupos de vertebrados mais ameaçados de extinção. Considerando o acima, e que os anuros em geral depositam seus ovos em substratos terrestres, ou diretamente na água, alguns estudos mostram que as massas de ovos terrestres também podem ser afetadas pelo ambiente externo. No entanto, não há evidências dos efeitos que a desidratação pode ter em temperaturas que podem tolerar as massas de ovos terrestres em seu ambiente. Alguns índices de tolerância térmica, tais como àTemperatura Voluntária Máxima (TVM), foram usados para estimar a vulnerabilidade de vários ectotherms (por exemplo, lagartos e anuros de adultos) a condições térmicas e hídricas estressantes. No entanto, não há evidências dos efeitos que a desidratação pode ter em temperaturas que podem tolerar as massas de ovos terrestres em seu ambiente, e não há evidências de integrar desidratação com índices de tolerância térmica, como à TVM, em massas de ovos. Para isso, para testar nossos objetivos, usaremos como modelo de estudo embreagens e embriões da perereca de olhos vermelhos Agalychnis callidryas, presentes em uma estação biológica do Smithsonian Tropical Research Institute em Gamboa, Panamá, durante os meses de junho a agosto deste ano . Esses objetivos são: Avaliar se os embriões de A. callidryas possuem um Máximo de Temperatura Voluntária (TVM) que causa a incubação precoce e avaliar os efeitos da desidratação das garras e seus embriões na resposta ao seu TVM. Este estudo é importante para estabelecer um método para medir a tolerância térmica nas massas de ovos, conhecer a interação da desidratação com à TVM nesta fase da vida, o que pode indicar a vulnerabilidade das massas de ovos terrestres a condições estressantes hídricas e térmicas. Esses objetivos podem ser avaliados em outras espécies e, conseqüentemente, podem ser estabelecidas estratégias de conservação para as áreas onde as temperaturas podem ser muito altas para o ótimo desenvolvimento e prevalência de muitas populações de anuros.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.