Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do treinamento excêntrico a longo prazo no músculo esquelético de camundongos mdx: análises morfológica e bioquímica

Processo: 18/05464-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Anabelle Silva Cornachione
Beneficiário:Lucas Corrêa Toniolo
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07104-6 - Efeitos do exercício excêntrico na reabilitação do músculo esquelético de camundongos mdx após longo período de treinamento: avaliações morfológica, funcional e molecular, AP.JP
Assunto(s):Distrofia muscular de Duchenne   Músculo esquelético   Exercício excêntrico   Expressão de proteínas   Creatina quinase   Modelos animais de doenças

Resumo

Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é uma doença genética degenerativa de caráter recessivo ligada ao cromossomo X que se caracteriza pela ausência da proteína distrofina, que determina degeneração e fraqueza muscular progressivas, ocasionando óbito do paciente por falência respiratória. Dosagens séricas da enzima creatina quinase (CK) têm mostrado e confirmado lesões significativas no tecido muscular decorrentes à doença. O exercício excêntrico é um recurso terapêutico que veem sendo explorado, cada vez mais, como uma ferramenta protetora e reabilitadora. Já é sabido que o músculo esquelético é capaz de sofrer plasticidade, principalmente quando o estímulo é mantido a longo prazo. O objetivo deste estudo é analisar a morfologia muscular e a expressão da proteína creatina quinase (CK) em camundongos mdx, após longo período de treinamento excêntrico. Serão utilizados camundongos machos com idada de 6 semanas, divididos em grupos: mdx Sedentários; mdx Treinados em esteira por 37 dias; wild type Sedentários; wild type Treinados em esteira por 37 dias. Após os períodos de treinamento os animais serão eutanasiados e será coletado sangue para análise da expressão da enzima creatina quinase. Posteriormente, o músculo esquelético será obtido para análise morfológica, através da técnica de coloração Hematoxilina-Eosina. Com esse estudo esperamos encontrar melhora da citoarquitetura do tecido muscular e redução da expressão da CK, quando comparados aos respectivos controles. (AU)